Mais de 700 mil cidadãos beneficiam de assistência sanitária da ADPP

Um total de 729 mil e 935 cidadãos beneficiaram do projecto Saúde Comunitária, desenvolvido pela organização não-governamental Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP) ao longo de 2018 em 12 províncias, revelou, Rikke Viholm, presidente do conselho de administração dessa instituição

A cifra foi alcançada com o desenvolvimento de 45 projectos nas áreas da educação, saúde, agricultura, ambiente e desenvolvimento integrado, ao nível de 42 municípios de 12 das 18 províncias do país. Rikke Viholm, que falava numa das unidades hoteleiras, em Luanda, à margem da apresentação do relatório anual da ADPP, afirmou que está ciente de que serão necessários muitos anos de esforço contínuo para que as comunidades consigam criar os seus próprios apoios, ou seja, uma base a partir da qual todos os membros possam usar o seu potencial.

Porém, reafirmou que a sua instituição continua empenhada em trabalhar nas áreas carentes de diferentes serviços e de difícil acesso. Na ocasião, lembrou que estavam presentes ininterruptamente em 11 províncias desde há mais de uma década, desenvolvendo projectos com vista a contribuir para o desenvolvimento integrado das comunidades. De acordo com Rikke Viholm, as secas cíclicas levaram à perda de produção e de animais. A falta de comida e água pioraram os problemas de saúde nas áreas onde o acesso aos centros médicos é difícil.

As necessidades identificadas pela sua organização foi a melhoria ao acesso à água e energia. O estabelecimento de sistemas para a manutenção das instalações, uma rede de agentes comunitários treinados para informar, educar e mobilizar as famílias sobre prevenção e tratamento de doenças comuns e a criação de escolas de campo para a agricultura familiares de modo a ajudar na melhoria da sua produção de forma sustentável, foram também outras dificuldades constatadas pela sua equipa.

Energia solar

No período em referência, a ADPP distribuiu 50 painéis solares, dos quais 18 foram entregues a agricultores que participaram activamente nas escolas de campo agro-pastorais, em Ombadja (Cunene). Isso por elas terem demonstrado espírito empreendedor e de liderança. Os outros 32 possibilitaram a instalação de oito sistemas de energia solar, sendo quatro no município da Bibala, no Namibe, e igual número nos Gambos, na Huíla. Nestas duas localidades, estão a desenvolver um projecto social integrado direccionado para as comunidades que enfrentam situações multifacetadas no que toca ao desenvolvimento. Tiveram também 556 agentes comunitários de Saúde a trabalhar em 12 províncias, tendo realizado 125 mil e 160 testes de malária.

Estiveram envolvidos neste projecto de Saúde 130 escolas e beneficiaram 729 mil e 935 cidadãos. Foram ainda desenvolvidas 16 escolas para agricultores, com campos modernos para demonstrar novas técnicas de cultivo, nas quais se inscreveram 400 agricultores. Por outro lado, cerca de 6 mil agricultores organizaram-se em clubes. Mais de mil professores primários foram graduados no primeiro mês do ano em curso e 341 pela escola polivalente, sendo que 462 docentes em serviço concluíram a formação em 40 sessões pedagógicas. Ao nível das 18 províncias foram implementados projectos que promovem a protecção do meio-ambiente, onde foi possível plantar 150 mil árvores.

error: Content is protected !!