Governador pede apoio ao PR para reabilitar hospitais

Governador pede apoio ao PR para reabilitar hospitais

A preocupação foi manifestada ontem, 18, em Mbanza Congo, capital da província do Zaire, na apresentação do plano de acção do Governo no âmbito do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) ao Presidente da República, João Lourenço. Este quadro surge numa altura em que as autoridades sanitárias apontam a malária e as doenças respiratórias agudas como as que mais preocupam na província, sem, no entanto, adiantarem o número de mortes resultantes destas patologias. Para além destas patologias, o governante disse haver a subida de doenças crónicas não transmissíveis, com realce para a hipertensão e a diabetes. Para reverter o quadro, Pedro Makita Júlia solicitou ao Titular do Poder Executivo apoio financeiro para a conclusão dos hospitais municipais de Mbanza Congo (município sede da província), Nzeto, Soyo, e o materno-infantil do município do Tomboco. “Grande parte das unidades sanitárias, postos e centros de saúde clamam por reabilitação e a instalação dos sistemas de energia elétrica e de água”, afirmou Pedro Makita.

Além da degradação das infraestruturas, o governante informou ao Presidente da República a falta, também, de quadros qualificados para dar resposta aos desafios actuais. Os serviços especializados no domínio da saúde, segundo o governador, são garantidos por médicos expatriados, que, na sua maioria, está a abandonar o país por falta de pagamentos dos seus ordenados. “Os médicos russos que estão no hospital de Mbanza Congo, muitos já começaram a regressar para o seu pais de origem por falta de pagamento de salários”, reforçou

Face à situação, o Hospital Municipal de Mbanza Congo conta actualmente com apenas um médico pediatra para atender as centenas de crianças que acorrem àquela unidade em busca de tratamento. Deplorou o facto de muitos quadros angolanos admitidos por via de concursos públicos abandonarem as suas áreas de trabalho. A província conta com 97 unidades sanitárias, sendo o Hospital Municipal de Mbanza Congo o de maior referência, mas que clama por obras de reabilitação.

Alargamento da rede escolar

No que diz respeito à rede escolar, Pedro Makita disse que a província conta actualmente com mais de 2 mil salas de aulas para o ensino primário e do segundo ciclo, o qual disse estar a corresponder às expectativas. No domínio do ensino superior, destacou o desmembramento do pólo universitário de Cabinda como tendo sido uma mais-valia, mas defende a criação de núcleos universitários em alguns municípios da província. “Outros municípios também vão clamando para a criação de pólos universitários face aos desafi os actuais que se exigem”, disse. Para ele, o complexo que alberga grande parte dos professores deve merecer uma maior atenção, pelo facto de não oferecer condições dignas para estes profi ssionais.

Energia eléctrica

Sobre o Ciclo Combinado do Soyo, o dirigente ressaltou a conclusão do processo de electrifi cação, tendo garantido estarem em fase conclusiva as obras das subestações do Nóqui e Tomboco. Anunciou a entrada em funcionamento de um novo sistema de captação de água, cujas obras estão sob tutela do Governo Central.