Imagens, poesias e canções marcaram homenagem a Rui Mingas e Manuel Rui na VI edição do Fespol

O músico e compositor Rui Mingas e o escritor Manuel Rui Monteiro foram homenageados na VI edição do Festival de Poesia e Letras (FESPOL), que teve início Quinta-feira, 18, na Mediateca de Luanda, promovido pelo Movimento Literário Lev’Arte

O acto de homenagem foi dominado com ilustrações de imagens do percurso literário e musical dos artistas, leitura de biografia e a entrega de diploma de mérito. Durante o acto foram igualmente declamadas poesias de Manuel Rui Monteiro, e cantadas músicas de Rui Mingas, como “11 Poemas em Novembro” e “Birin Birin”, respectivamente.

O referido tributo deveu-se ao contributo que os artistas têm prestado para o engrandecimento da cultura angolana, através dos seus trabalhos. Entre o vasto repertório de Rui Mingas, consta os trabalhos discográficos “Monangambé”, “Quem Tá Gemendo”, “Adeus à hora da Partida”, “Muimbu ua sabalu” “Muadiakimi” e “Birim-Birim”, cantadas desde 1974.

O escritor Manuel Rui Monteiro tem uma vasta gama de obras literárias, como de poesia, romance e contos, com destaque aos livros “Quem me dera ser onda”, “Crónica de um mujimbo”, “Cinco vezes onze: poemas em Novembro”, “A casa do rio”, Imagens, poesias e canções marcaram homenagem a Rui Mingas e Manuel Rui na VI edição do Fespol “Rio seco” e “Janela da Sónia”, lançados desde 1982. O coordenador do evento, Kiocamba Cassua, disse que a homenagem se deve ao legado e intercâmbio, tanto cultural e intelectual que os artistas poderão deixar para as novas gerações. “Este ano procuramos homenagear essas duas grandes referências da cultura do nosso país. Na verdade, é mais uma forma de mostrar a juventude quem são na verdade essas duas grandes figuras”, explicou.

Aniversário

Através da realização do FESPOL que termina hoje, 20, o Movimento Literário Lev’Arte celebra o seu 13º aniversário, tendo começado com as suas actividades a 20 de Julho de 2006, em Luanda. Posteriormente, expandiu- se nas demais províncias do país, sempre com a intenção de disseminar o projecto a nível do mundo. Em termos de actividade, o Lev’Arte tem realizado várias de caracter semanal, mensal e anual, como “Mulher é poesia”, o recital “Encontro das gerações”, “Vozes de África”, “Club de leitores”, “Faça uma criança feliz” e a “Conferência de literatura”. Em termos de produção literária produziu obras colectivas e individuais de vários autores, entre os quais Ras Nguimba Ngola, Ângelo Reis, Caldio Bestilo e Mira Clock. Kiocamba Cassua referiu que, a nível internacional, o Movimento Lev Art foi expandido no Brasil, (Florianópolis), Portugal e na República da Namíbia. “Foram 13 anos de muito sucesso, de muita paixão e amor à arte. Durante esse tempo procuramos fazer os possíveis e impossíveis para tornar realidade as nossas actividades, uma vez que as condições financeiras para as actividades culturais são sempre escassas”, disse.

Considerou igualmente o FESPOL como o maior marco de celebração do aniversário do Lev’Art, que nesta edição envolve mais de 15 expositores, bem como a realização de recitais de poesias, amostra de cinema, exposições de artes plásticas e feira do livro. O evento reserva ainda debates, workshops e palestras sobre a importância da poesia e a declamação

error: Content is protected !!