INE tem cerca de USD 7 milhões para realizar o ” IIMS 2020″

O Inquérito de Indicadores Múltiplos e de Saúde 2020 (IIMS 2020) está orçado em 9 milhões, 467 mil e 743 dólares, mas o Instituto Nacional de Estatística (INE) dispõe apenas de 7 milhões de dólares, doados pelos seus parceiros internacionais, para o efeito, revelou ontem, em Luanda, Camilo Ceita

Odirector do INE prestou essa informação durante um encontro com os seus parceiros internacionais, no sentido de abordar financiamento para realizar este inquérito, cujo projecto-piloto terá início em Fevereiro de 2020.

Está previsto o arranque da recolha de dados em Maio, um processo que poderá durar cerca de cinco meses. Camilo Ceita afirmou que o IIMS 2020 vai actualizar informações para os Objectivos de Desenvolvimento Sustentáveis, realçando que a sua instituição está a fazer a sua parte do ponto de vista de informação estatística, no âmbito da Agenda 2030.

O INE realizará o inquérito em estreita colaboração com o Ministério da Saúde e com a assistência técnica dos seus parceiros internacionais, designadamente, a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), o Banco Mundial, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e o Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP). Terá ainda o apoio financeiro de algumas instituições nacionais.

A chefe de departamento de estatística demográfica e sociais do INE, Margaria Lourenço, fez, na ocasião, revelou os níveis de preparação deste que será o segundo Inquérito de Indicadores Múltiplos e de Saúde.

O primeiro foi realizado entre 2015 a 2016, tendo fornecido indicadores demográficos e de saúde importantes sobre a situação actual do país. Por agora, estão na fase de reuniões com os seus parceiros, tendo em conta que são essenciaispara o arranque do projecto. É através desses trabalho que concluíram que para a execução do programa global desse projecto necessitariam de 9 milhões, 467 mil e 743 dólares. Todavia, o programa carece ainda de opiniões de outras instituições envolvidas no mesmo. Quanto aos recursos humanos preparados, Margarida Lourenço disse que por norma, em cada província, trabalham uma ou duas equipas formadas por cinco pessoas, sendo que a extensão da região dita a quantidade de grupos.

FNUA P garante apoio

Já a representante do FNUAP, Florbela Fernandes, participou do encontro com objectivo de reafirmar que a sua instituição vai apoiar financeiramente e com meios técnicos. Em declarações à imprensa, não especificou o valor monetário, tendo em conta que a fundação que represente está constituída por cerca de 10 agências internacionais. “Não é possível consultar, considerando que estamos a falar de consultores tanto a nível regional como internacional. O apoio vai para além de contribuição financeira ou técnica, tem ainda a ver com apoio logístico, como exemplo o transporte dos questionários, das amostras e ajuda na revisão das amostras. Por esse facto, é difícil quantificar o valor, mas vamos certamente dar o melhor que podemos”, assegurou Florbela Fernandes. O IIMS 2020 disponibilizará indicadores sociodemográficos sobre fecundidade, a mortalidade materna e das crianças menores de cinco anos, a saúde reprodutiva, a prevalência do VIH/ SIDA bem como os conhecimentos e atitudes relacionadas tanto a essa doença como a outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST).

A malária, anemia e violência doméstica também constaram das estatísticas. Estas informações irão contribuir para o fortalecimento dos processos de planificação do Plano Nacional de Desenvolvimento Sanitário para 2012-2022 (PNDS 2012-2025), do Plano de Desenvolvimento Nacional para 2018- 2022 (PDN 2018-2022) bem como contribuir para a monitoria dos programas de desenvolvimento socioeconómico de Angola e dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030.

error: Content is protected !!