Editorial: A Peskwanza fica como?

o editorial

Jornal OPaís edição n1542 de 22/07/2019

A ministra das Pescas e do Mar, Maria Antonieta Bapstista, referiu- se, no Cuanza-Sul, à necessidade de se fazer despertar a Peskwanza, uma empresa pública do sector. A ministra vê neste renascimento uma forma de agregar valor e defender o emprego. o governador do Cuanza-Sul, Job Capapinha, disse que o estado em que está a empresa é uma das causas dos problemas sociais da província, que tem potencial enorme na área piscatória. Ministra e governador estão cobertos de razão. Mas… Mas quem é que vai reabilitar a empresa? A lógica do Governo não passa pela alienação das empresas improdutivas e também pela responsabilização de quem as geriu mal e malbaratou dinheiro do Estado, causando sofrimento a sociedade? Foi pena ambos não terem sido mais contundentes sobre o futuro da Peskwanza, embora a posição da ministra faça entender que irá mais algum dinheiro do Estado para resolver mais um problema de cujo descalabro, aparentemente, não há culpados.

error: Content is protected !!