British Airways suspende vôos para o Cairo por sete dias

A British Airways e a Lufthansa suspenderam abruptamente os vôos para o Cairo, no Sábado, devido a preocupações de segurança, mas não deram detalhes sobre o que pôde ter motivado a mudança

“Estamos constantemente a rever os nossos acordos de segurança em todos os nossos aeroportos ao redor do mundo, e suspendemos os vôos para o Cairo por sete dias como uma precaução para permitir uma avaliação adicional”, disse a British Airways num comunicado. Mais tarde, a Lufthansa informou que cancelou os seus vôos para o Cairo no Sábado a partir de Munique e Frankfurt e os retomará no Domingo. A British Airways, uma unidade da IAG, também disse que nunca operaria uma aeronave a menos que fosse seguro fazê-lo.

Quando lhe pediram mais detalhes sobre o porquê de os vôos terem sido suspensos e quais medidas de segurança a companhia aérea estava a tomar, uma porta-voz respondeu: “Nunca discutimos questões de segurança”. Três fontes de segurança do aeroporto egípcio disseram à Reuters que a equipa britânica verifica a segurança no aeroporto do Cairo na Quarta e Quinta-feiras. Eles não deram mais detalhes. O Ministério das Relações Exteriores britânico actualizou o seu comunicado de viagem no Sábado para adicionar uma referência à suspensão da British Airways, aconselhando os viajantes afectados a entrar em contacto com a companhia aérea.

O Ministério da Aviação Civil do Egipto disse num comunicado no Sábado, que entrou em contacto com a embaixada britânica no Cairo, que confirmou que a decisão de suspender os vôos não foi emitida pelos ministérios de Transporte ou Estrangeiros do Reino Unido. O ministério egípcio acrescentou que vai adicionar mais vôos do Cairo a Londres a partir de Domingo “para facilitar o transporte de passageiros durante esse período”. O governo britânico avisou há muito tempo, ser contra todas as viagens essenciais, por via aérea, de e para o resort egípcio de Sharm el-Sheikh, onde um jacto de passageiros russo foi bombardeado em 2015, mas não emitiu alertas semelhantes contra viagens aéreas para o Cairo.

“Há um risco elevado de terrorismo contra a aviação. Medidas adicionais de segurança estão em vigor para vôos que partem do Egipto para o Reino Unido ”, diz o conselho britânico. O turismo, uma fonte importante de receita estrangeira para o Egipto, tem vindo a recuperar depois de o número de turistas ter caído em consequência do levante de 2011 e do atentado de 2015 contra o jacto russo, que matou todas as 224 pessoas a bordo logo após a descolagem. Esse ataque, que foi reivindicado pelo Estado Islâmico, levou a Rússia a suspender todos os vôos para o Egipto por vários anos e vários países, incluindo a Grã-Bretanha, para suspender os vôos para Sharm el-Sheikh, que ainda não foram retomados.

Air France e Emirates mantêm voos para o Cairo após suspensão da British Air

A Air France, Emirates e Etihad Airways continuam a operar vôos para o Cairo, depois de a British Airways e a Lufthansa suspenderem os seus serviços para a capital do Egipto. A British Airways, do grupo British Airways, suspendeu os vôos no Sábado por sete dias “como medida de segurança”, ao avaliar a segurança no aeroporto do Cairo. A alemã Lufthansa disse mais tarde que cancelou os serviços de Munique e Frankfurt para o Cairo e retomaria os vôos no Domingo. “Em ligação com as autoridades francesas e as autoridades locais no Egipto, a Air France decidiu manter o seu serviço para o Cairo”, disse um porta-voz num comunicado enviado à Reuters. Uma porta-voz da Emirates informou que os seus vôos estavam a operar para o cronograma. “Estamos a avaliar de perto a situação e estamos em contacto com as autoridades de aviação relevantes em relação às nossas operações de vôo para o Egipto”, disse a porta-voz.

error: Content is protected !!