Governo solidariza-se com as vítimas da seca no Sul do país

O Governo Provincial de Benguela solidarizou-se com as vítimas da seca na região Sul do país, enviando, na manhã de Quinta-feira, 25, quinze toneladas de peixe congelado para a Província do Cunene, oferta do empresário do sector pesqueiro Carlitos Viegas

Por:Constantino Eduardo, em Benguela

O governador Rui Luis Falcão Pinto de Andrade recepcionou a doação das 15 toneladas, de um total de 30, de peixe congelado, doadas elo empresário Carlitos Viegas, ontem, em Benguela. Na primeira doação, ocorrida na semana passada, Carlitos Viegas tinha procedido à entrega da mesma quantidade destinadas à província do Cuando Cubango, região igualmente fustigada por uma seca que terá desafiado as estratégias do anterior Governo e que, actualmente, tira o sossego ao Executivo de João Lourenço, uma vez que o cenário no Sul de Angola, que recentemente recebeu a visita do Presidente da República, é descrito como sendo desolador. Aliás, sobre essa questão, o governo  variadíssimas vezes foi alertado para a necessidade de se alterar as políticas direccionadas para o Sul de um país que, por ter estado mergulhado no ‘mar dos petrodólares’ durante anos, tinha condições financeiras para resolver em definitivo o problema, como dizem organizações da sociedade como a Omunga, criada pelo malogrado José Patrocínio, a capitanear as advertências. Segundo a associação de defesa dos direitos humanos, o anterior Executivo nunca levou a sério a questão que se denunciava, daí que se tivesse chegado ao actual estado.

Na ocasião, Rui Falcão Pinto de Andrade agradeceu o gesto de solidariedade e o sentimento humano com que o empresário se revestiu, tendo, em função disso, apelado à sociedade para que tenha a mesma sensibilidade, pois as famílias naquelas regiões estão a atravessar necessidades de vária ordem. Saliente-se que antes mesmo do apelo do inquilino do Palácio Corde- rosa da Praia Morena, já algumas igrejas estavam a sensibilizar e a mobilizar os fiéis para doarem bens, sobretudo produtos da cesta básica, visando acudir as vítimas.

Segundo apurou OPAÍS, a Igreja Universal, experiente nesse tipo de acções, está juntar bens nos seus templos para levar aos ‘irmãos carenciados’, como justificou o obreiro Felix Manuel ‘África’ a O PAÍS. A directora do Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade do Gênero, Leonor Fundanga, referiu que o Governo de Benguela está atento a todas as preocupações da sociedade, daí que esteja a apelar a todos os segmentos sociais. “O Governo tem já traçadas as estratégias de intervenção directa para ultrapassar as principais necessidades das comunidades”, disse.

O Governo de Benguela está ciente das dificuldades por que passam algumas comunidades da província, caracterizada, fundamentalmente, pela carência de água, por isso o Gabinete dirigido por Leonor Fundanga está a trabalhar em coordenacão com as administrações municipais no sentido de colmatá-las, à luz do previsto no Programa de Combate à Fome e à Pobreza. A responsável disse que o Governo tem implementado nos municípios estratégias de soluções imediatas, visando acudir as povoações onde o acesso à água, àeducação, à saúde e ao saneamento básico ainda não se regista em números vantajosos.

error: Content is protected !!