Ministro do Interior quer maior actuação do SIC no combate à corrupção

Para o sucesso deste combate, Eugénio Laborinho apontou a necessidade de o Serviço de Investigação Criminal (SIC) trabalhar em concertação com outros órgãos ministeriais que intervêm directamente na sua acção de formas a permitir uma “batalha” cerrada

Eugénio Laborinho, ministro do Interior

 

O novo ministro do Interior, Eugénio Laborinho, disse que quer ver o Serviço de Investigação Criminal (SIC) a trabalhar afincadamente com vista a melhorar a sua actuação no combate à corrupção, à criminalidade organizada e financeira e à exploração ilegal de inertes, de forma a cumprir uma das principais premissas pelas quais foi criado.

Para o sucesso deste combate, Eugénio Laborinho apontou a necessidade de o SIC trabalhar em concertação com outros órgãos ministeriais que intervêm directamente na sua acção, de forma a permitir uma “batalha” cerrada contra as referidas práticas, que atentam contra a segurança pública.

Segundo o ministro, o SIC deve, igualmente, empenhar-se com vista a melhorar a sua imagem perante a sociedade civil, depurando do seu quadro de efectivos todos os agentes que na sua actuação põem em causa o bom nome da instituição. Eugénio Laborinho, que falava ontem durante a sua apresentação aos efectivos do órgão ministerial, frisou que a missão que lhe foi incumbida, de dirigir o Interior, representa elevada responsabilidade, pelo que espera contar com todos, de forma a cumprir as orientações e os objectivos que estiveram na base da sua nomeação.

Conforme explicou, apesar das inúmeras dificuldades, a Polícia Nacional representa, actualmente, uma organização forte, coesa e zelosa que constitui um orgulho para o povo angolano. Apesar deste reconhecimento, Eugénio Laborinho fez saber que a Polícia Nacional deve prestar particular atenção à ges- Eugénio Laborinho, ministro do Interior tão dos seus recursos humanos. E, parta isso, anunciou que, ao longo do seu mandato, vai continuar a fortalecer e modernizar o sistema de segurança pública, contado, para o efeito, com a implementação de meios técnicos e tecnológicos modernos.

O governante assegurou que a Polícia Nacional deve continuar a garantir a manutenção da ordem e da segurança pública através da melhoria e da ampliação da rede policial em todo o território nacional e aperfeiçoar e alargar o policiamento de proximidade, estreitando a sua relação de confiança com os cidadãos de formas a devolver o sentimento de segurança pública.

Centro Integrado de Segurança Pública em funcionamento este ano

Por outro lado, o ministro do Interior deu a conhecer que está prevista, para esse ano, a abertura e o funcionamento do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP). Para o efeito, Eugénio Laborinho avançou que os órgãos e os serviços executivos centrais do Ministério do Interior devem continuar a trabalhar no sentido de adoptar novos métodos de trabalho, tendo em conta o surgimento deste novo órgão, que vai proporcionar melhorias significativas no sistema de segurança pública. “Deverão ser aprimorados os mecanismos que concorrem para o aprofundamento do respeito pela liberdade democrática, direitos humanos e dos cidadãos numa perspectiva de equilíbrio com a defesa dos direitos de todos e de cada um”, frisou o responsável, que, durante a sua alocução, prometeu, igualmente, prestar uma atenção especial aos Serviços Penitenciarias, Serviço de Protecção Civil e Bombeiros e ainda ao Serviço de Migração Estrangeira. Sobre este ultimo, Eugénio Laborinho prometeu trabalhar com vista a acabar com o “fenómeno gasosa”, uma das principais reclamações dos utentes.

error: Content is protected !!