Mpambukidi Lunfidi celebra “bodas de ouro” com mostra de esculturas no Camões

Cerca de 150 esculturas de bronze compõem a exposição do artista plástico Mpambukidi Lunfidi, intitulada “Espírito de União”, inaugurada na Quinta-feira, 25, no Camões/Centro Cultural Português (CCCP), em Luanda

Entre as obras inéditas, produzidas no período de cinco anos, constam peças que representam os símbolos nacionais e culturais, como uma escultura de Agostinho Neto, a insígnia da República, o Pensador e a estátua do Jacaré Bangão, que ficarão patentes até 17 de Agosto. A mostra conta ainda com esculturas de vestimentas usadas por mulheres nas várias províncias do país, durante um ritual, como o das mumuílas, bessanganas e dançarinas das lundas.

Nessas peças, o autor ilustra ainda vários estilos de tranças africanas, elementos que considera como adorno fundamental para as mulheres. Obras essas, que serão comercializadas a partir de 500 mil Kwanzas. Para a produção das esculturas foi necessário o artista deslocar-se às 18 províncias do país, onde efectivou trabalhos de campo. A maior obra, feita durante dois anos é a “Harmonia para o desenvolvimento do país”, que possui três metros de altura, pesa uma tonelada, sen- Algumas obras em bronze do artista espelhadas na sala de exposiçãoes do “Camões” do esta também em bronze. Mpambukidi Lunfidi disse que a referida peça representa a “mulher zungueira”, que comercializa vários produtos nacionais. Com esta obra o autor narra a possibilidade do desenvolvimento do país, através da agricultura. “Essa obra expressa a mulher como representante do governo.

Ela é quem trabalha nos campos, para o seu desenvolvimento. Essa exposição é também uma homenagem às mulheres, pelo trabalho árduo que têm feito em prol do crescimento do nosso país”, observou. Com o trabalho que dá titulo à exposição, “Espírito de união”, o autor disse que reflecte os vários problemas que o país viveu, como a guerra, e agora, a crise económica.

Por sua vez, considerou que “Unidos é possível ultrapassar esses dilemas. Precisamos de ter esse espirito de união, porque o desenvolvimento resulta das nossas acções”, vaticinou.

50 anos de trabalho

Com a presente exposição, Mpambukidi celebra os 50 anos de trabalhos (bodas de ouro), onde segundo ele, passou por inúmeras dificuldades, conquistou vários prémios nacionais e internacionais, tendo realizado mais de 150 exposições no mundo. Conquistou prémios como o de “Melhor artista africano na Califórnia”, em 1998. Em 1994, foi homenageado na Republica Democrática do Congo e no Gabão. Participou também em dezenas de exposições individuais e colectivas, em Angola e no estrangeiro.

O artista disse que pretende continuar a trabalhar e passar o testemunho aos novos talentos, por considerar-se como “uma referência a nível das artes plásticas (escultura) no país”. “Sinto-me feliz por ter realizado os meus sonhos e graças a Deus consigo viver da minha arte. Já fui considerado como melhor artista em várias actividades em que participei nos Estados Unidos da América, em vários países europeu e no nosso continente”, contou.

O artista

Mpambukidi Lunfidi nasceu no Uíge, em 1957. Estudou na Academia de Belas Artes, na República Democrática do Congo, onde trabalhou com os Mestres Makala e Mokengo e teve como professor Kitenda Kia Basala. É Membro da União Nacional dos Artistas Plásticos e Presidente da Oficina Mpambukidi e Galeria de Arte (MPAGAR) – espaço de arte que se dedica à descoberta de novos talentos. No seu percurso artístico de mais de cinco décadas. O malogrado Simão Souindoula, então crítico de Arte e Perito da UNESCO, sobre o trabalho artístico de Mpambukidi Lunfidi considerou-o: “A perfeição da escultura angolana em bronze. É a apreciação que pode ser feita, hoje, após uma década de vigorosa produção de sucesso”.

error: Content is protected !!