CASA-CE defende envolvimento da sociedade na fiscalização do PIIM

O secretário da CASA-CE na província do Huambo, Arão Abel, defendeu ontem, Sábado, a necessidade da população fiscalizar, de forma contínua, o Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), lançado pelo Executivo angolano no passado dia 28 de Junho, em Luanda. Segundo o responsável, após empossar o novo secretário provincial adjunto desta organização, Augusto Joaquim Ângelo, a fiscalização deve recair, fundamentalmente, na denúncia de eventuais desvios da coisa pública, no âmbito do combate à corrupção, ao nepotismo e à impunidade, visando a melhoria do bem-estar comum.

Para o planalto central de Angola, com uma extensão territorial de 35 mil e 771 quilómetros quadrados e uma população de dois milhões, 389 mil e 231 habitantes, o PIIM prevê, entre outras, a construção de 31 escolas do ensino geral e de 22 unidades hospitalares, bem como a execução de 18 projectos voltados para o bemestar das famílias. Entretanto, Arão Abel declarou que o combate à corrupção, por sua vez, deve ser um desafio que todo o cidadão deve assumir, de modo a que o mesmo seja feito de forma séria e responsável, para permitir o crescimento económico- social do país.

Noutra parte da sua intervenção, o político apelou aos militantes da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral a serem mais dinâmicos e pro-activos na mobilização e nas acções de formação político-ideológica, para fazerem face aos próximos desafios, começando pelas primeiras eleições autárquicas em Angola, previstas para 2020.

Também tomaram posse os membros do executivo provincial desta formação política, incluindo das organizações da mulher e da juventude, bem como o secretariado municipal do Huambo. Nas eleições de 23 de Agosto de 2017, a CASA-CE obteve, nesta região, 20.519 votos, contra 347 mil e 763 do MPLA e 212 mil e 858 da UNITA, principais adversários desta coligação.

error: Content is protected !!