Sector das águas vai expandir instalação de contadores pré-pagos

O subsector das águas vai expandir a iniciativa de instalação dos contadores pré-pagos para possibilitar o aumento das receitas e da confiança do cliente, bem como avaliar as perdas técnicas

Esta é uma das recomendações saídas do 9.º Conselho Consultivo do Ministério da Energia e Águas (Minea), realizado de 26 a 27 de Julho sob o lema “Água e Energia: Melhoria do Serviço com Foco na Sustentabilidade”. O conselho consultivo recomendou também a promoção de estudos comparativos entre o sistema convencional e o pós-pago de forma a apurar as vantagens, a criação de formas de estimular os operadores da área comercial para o aumento da actividade de cobrança, assim como uma estratégia de negócio para facilitar a amortização da dívida dos clientes devedores. Recomendou ainda, preferencialmente, a instalação de furos para abastecimentos de água com bombas manuais, sobretudo em zonas rurais, bem como em áreas de vandalismo reincidente.

Assegurar a adequada interacção com os meios de comunicação social local visando publicitação de realizações relevantes, status de implementação de projectos em curso, actos de vandalismo, evolução de indicadores de desempenho e divulgação de recomendações aos clientes. Em relação ao subsector da energia, entre as várias recomendações, consta a apresentação das principais alterações do novo tarifário e o seu impacto na factura do cliente, acelerar o programa de conversão das centrais diesel para gás em toda a extensão do território nacional e a elaboração de estudos pormenorizados das demais bacias existentes no país.

Promover a instalação de contadores para a facturação de pagamentos justos e a fixação de tarifas diferenciadas, que permitam uma melhor e maior arrecadação de receitas para a Prodel, diante da matriz energética que se pretende para o país constituem igualmente orientações . De igual modo, o Minea recomendou, no seu nono conselho consultivo, a criação de um plano de segurança para combater a vandalização das infra-estruturas eléctricas, assim como para a Iluminação Pública, e prosseguir com estudos e demais acções tendentes a ligações da rede regional.

Sobre os aproveitamentos como Gove, Chiumbe Dala e Lomaum, que estão a ser explorados abaixo da capacidade nominal de geração, por serem a fio de água ou não terem caudais médios anuais garantidos, deverão ser encontradas soluções para optimizar estes activos, isto é, passar pela construção de aproveitamentos a montante para regularização dos caudais, no caso do Lomaum e do Chiumbe Dala. Para o caso do Gove deverá ser identificada a solução que poderá passar pelo desassoreamento.

O fórum contou a participação de 280 entidades, entre as quais, o vice-governador do Cuanza- Sul, representantes dos departamentos ministeriais e instituições convidadas como os Ministérios das Finanças, do Ordenamento do Território e Habitação, das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, da Agricultura e Florestas, das Pescas e Mar, do Ambiente, dos Recursos Minerais e Petróleos, Ministério do Ensino Superior Ciência e Tecnologia Empresas parceiras do Sector, assim como, Órgãos legislativos, das Universidades Agostinho Neto, Católica, Metodista, Óscar Ribas e ISPTEC. A reunião realizou- se numa altura em que o sector aprovou, através da Assembleia Nacional, novas tarifas da energia e da água.

error: Content is protected !!