Pai mata filho de 31 anos à facada

Um cidadão de 73 anos de idade está a ser acusado de ter matado o filho de 31, à facada, após se terem desentendido no dia 20, na província da huíla

O crime aconteceu na comuna do Dongo, município da Jamba, na Huíla, no interior de uma residência, segundo o porta-voz da Polícia Local, Luís Zilungo, quando fazia o balanço do fim-de-semana ao jornal OPÁIS. O cidadão de 73 anos de idade, camponês, esfaqueou o filho que em vida respondeu pelo nome de Vasco Hungulo, de 31 anos, após se desentenderem. O golpe com faca foi na região do tórax, tendo causado a morte imediata. Diante desta situação, a família nada mais tinha a escolher senão fazer queixa à Polícia, o que resultou na detenção do indivíduo.

No mesmo período, na Huíla, por coincidência no mesmo dia e município (Jamba) registou- se outro crime de homicídio, com recurso a um objecto contundente (pau), de que é vítima o cidadão Mateus Canbinda, de 52 anos de idade, camponês. O facto aconteceu na via pública, quando elementos conhecidos, que se encontram em fuga, depois de consumirem bebidas alcoólicas num estabelecimento comercial, desentenderam-se com a vítima ao ponto de lhe tirarem a vida. A morte de Mateus Canbinda também foi imediata, porquanto não resistiu aos golpes com paus que lhe foram dados em todo o corpo. A Polícia na Huíla garantiu que diligências estão a ser feitas no sentido de localizar os implicados neste crime, para que sejam responsabilizados.

Muita falta de entendimento

A falta de entendimento, em companhia do consumo de álcool resultou numa terceira morte, no dia 28 de Julho, só que desta vez na localidade do Canal Chicungo. O crime de homicídio com recurso a uma catana foi perpetrado por um indivíduo que se encontra em fuga e a vítima é um camponês, de 58 anos, que respondia pelo nome de Fernando Rock. Tudo aconteceu quando ambos se encontravam a consumir bebidas alcoólicas e, por desentendimento, o acusado desferiu um golpe na região craniana do outro, causando- lhe morte imediata. A queixa foi feita pelos familiares da vítima e a polícia está a envidar esforços no sentido de localizar o acusado. A província da Huíla, no cômputo geral, registou 20 crimes de natureza diversa, de que resultou a detenção de 14 cidadãos como presumíveis autores. Das duas dezenas de crimes registados, 15 foram esclarecidos. São três homicídios, sete ofensas corporais, dois furtos, quatro roubos, duas posses e tráfico de cannabis, um dano e uma difamação.

error: Content is protected !!