Performances teatrais prosseguem na IV edição do “CIT”

A IV edição do Circuito Internacional de Teatro (CIT), que decorre desde 29 de Junho na Liga Nacional Africana, prossegue este mês (Agosto) com a exibição de cerca de 15 peças teatrais, de grupos provenientes de Benguela, Huambo, Cuanza-Sul, Malanje, Brasil e Moçambique

Sob o lema “Projectar África com o teatro”, o evento é promovido pela Companhia Teatral Pitabel, que tem agendadas para esta semana, Quinta, Sexta, Sábado e Domingo as peças “Encaixe”, “Versos e versos”, “Procura-se boa mulher para casar” e “Dembo” dos grupos Xabada Wiza, Atelier D’Artes Lucengomono, Ombaka e Feloma Mussanzala, que serão exibidas a partir das 20 horas. Ainda no decurso deste mês, serão exibidas duas peças infantis, designadamente “Taichibanana” e “Fiu Fiu” do grupo brasileiro Tibanaré.

O coordenador do evento, Adérito Rodrigues, avançou que o CIT prioriza também a exibição de peças infantis, de modo a tornar o evento mais abrangente. Referiu, igualmente, que em Julho foram exibidas duas peças infantis, “Chapeuzinho Vermelho” e “A Cigarra e a Formiga”, pela companhia brasileira Nós do Asfalto, que contou com uma assistência considerável de crianças e adultos. Em termos de adesão, o coordenador do evento considerou que tem estado a crescer gradualmente. “Nas primeiras semanas a assistência era fraca, devido à ocorrência do Campeonato Africano das Nações (CAN). Mas agora, está a ser boa.

Neste primeiro mês do CIT, o balanço é positivo e temos estado a registar cerca de mil e 500 telespectadores semanalmente”, manifestou. Saliente-se que este evento termina na primeira quinzena de Setembro e conta com a participação de 49 grupos, sendo que 21 companhias já se apresentaram no palco da Liga Nacional Africana, dentre as quais os grupos Amor à Arte, Monte Sinai, Twabixila, Miragens, Teatro do Oprimido, Henriques Artes, Odeth Tavares, Amor e Arte, Cia Letras de Rosa e Nós do Asfalto, do Brasil e Folha de Medronho de Portugal.

Outras actividades

À margem das exibições teatrais, está a ser promovida uma formação para televisão, cinema e teatro, com duração de dois meses, ministrada por professores angolanos e estrangeiros. E, com base no lema da presente edição, “Projectar África com o teatro”, pretende-se chegar a uma conclusão sobre a influência do teatro na projecção económica, social e no resgate dos valores morais, cívicos, e culturais, assim como a valorização da identidade cultural de um povo. Por essa razão, foi realizada entre os dias 25 e 28 de Julho a 1ª Conferência Internacional de Teatro em parceria com a Associação Ubutu. Trata-se de uma actividade que reuniu estudiosos nacionais e estrangeiros, profissionais das Artes Cénicas que divulgaram trabalhos de investigação nos domínios do teatro, da dança e do cinema. Adérito Rodrigues referiu que o encontro decorreu conforme as expectativas. Realçou que a Plataforma Cultura para Todos, enquanto instituição cultural ligada ao teatro, conseguiu fazer parcerias com os países lusófonos e francófonos.

Homenagem

Nesta edição a homenageada foi a escritora e dramaturga Agnela Barros. Adérito Rodrigues realçou que Agnela Barros, com muitos anos de carreira, é formada em teatro, principalmente na área de pesquisa popular africana. “Todavia, para nós foi uma responsabilidade homenageála, primeiro por ser mulher, segundo por ser uma pessoa que, além de estar ligada ao teatro, estuda, está a formar-se para o desenvolvimento do teatro africano ao nível do mundo”, observou. O evento de carácter anual tem como objectivo incentivar o intercâmbio teatral entre grupos e companhias de teatro nacionais e de grupos internacionais, valorizar o processo de criação das artes cénicas e estimular a produção.

error: Content is protected !!