Bombas atingem Bangkok durante reunião de alto nível sobre segurança

Seis pequenas bombas atingiram pelo menos quatro pessoas em Bangkok, na Sexta-feira, quando a capital da Tailândia acolhia  uma reunião de segurança do Sudeste Asiático com os principais diplomatas dos Estados Unidos, China e outras potências mundiais

O primeiro-ministro, Prayuth Chan-ocha, ordenou uma investigação sobre as bombas, um golpe na imagem da Tailândia durante o evento de alto nível e apenas duas semanas após a sua ex-junta militar se ter transformado num governo civil. As primeiras pequenas explosões foram ouvidas pouco antes das 9 horas locais, em dois lugares no centro de Bangcoc. Outras explosões atingiram um complexo do governo que abriga vários ministérios no norte da cidade. Quatro pessoas ficaram feridas, disse o Centro Médico Erawan. Três dos feridos eram mulheres que limpavam a rua quando o que a Polícia chamou de “bomba de pingue-pongue” explodiu. Fotos em sites locais mostraram que elas pareciam confusas e a receber tratamento médico.

A outra vítima estava perto do prédio de 77 andares , King Power Mahanakhon, um dos mais altos de Bangkok. O coronel da Polícia Kamtorn Uicharoen disse à Reuters que seis bombas explodiram. Uma foi desactivada antes de explodir. “Os meus ouvidos estavam a zumbir. O som era tão alto”, disse o motociclista Chokechai Prasongsan de 48 anos. Não houve reivindicação imediata da responsabilidade. “Eu gostaria de condenar aqueles que causam a situação que destrói a paz e prejudica a imagem do país”, disse o primeiro-ministro da Tailândia, Prayuth, no Twitter. Numa mensagem endereçada ao público, Prayuth disse: “Um grupo de pessoas mal intencionadas incitou, recentemente, a violência enquanto o governo está a impulsionar o país para frente”. Ele não identificou o grupo, mas pediu que os tailandeses cooperem com as forças de segurança. Quarto caso Ébola detectado em Goma depois de marido e filha serem infectados Um quarto caso de Ébola foi confirmado na cidade de Goma, no Leste do Congo, informou o governo nesta

Quinta-feira, marcando uma rápida escalada da doença na cidade de mais de 1 milhão de pessoas que faz fronteira com o rwanda. o novo caso é a esposa de um homem que morreu do vírus no início desta semana. A sua filha também testou positivo para Ébola, de acordo com um boletim de notícias do governo. o homem morreu na Quartafeira depois que ele procurou tratamento tarde demais. Estes últimos casos não estão ligados ao primeiro, dizem as autoridades. Quase 200 contactos do homem foram rastreiados e 160 deles foram vacinados, de acordo com o governo. Nenhuma das explosões de Sexta- feira foi muito próxima do local da reunião sobre segurança regional. O principal diplomata da China, Wang Yi, e o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, participam no fórum. Bangkok foi atingida pela última vez por uma série de pequenas explosões em 2017. Um homem, oponente da junta militar, foi preso por instalar uma bomba que feriu 21 pessoas num hospital.

O pior bombardeio da cidade ocorreu em 2015, quando 20 pessoas foram mortas num ataque pelo qual dois homens de etnia uigur chinesa foram presos. Uma insurgência de baixo nível nas províncias muçulmanas malaias do extremo-sul da Tailândia deixou cerca de 7 mil pessoas mortas desde 2004, mas a violência em grande parte foi confinada a essa região.

error: Content is protected !!