Carta do leitor: Os estimulantes da morte

POR: B.Anjos / Benfica

À direcção do jornal O PAÍS, muito obrigado e saudações jornalísiticas nesta manhã de Segunda-feira. Escrevo a partir do Benfica, em Luanda, uma zona muito falada nos últimos tempos. Aqui, por ser uma zona com muitas residências e outros serviços, devo dizer que há também muitas pensões. Há dias, prefiro ocultar o nome da mesma por uma questão de ética, um cidadão morreu num desses espaços por ingerir substâncias para aumentar a potência sexual. Segundo relatos dos funcionários, o cidadão foi encontrado sem vida, num dos quartos e na perícia, quando chegou a Polícia, viu-se muitos comprimidos. Esta prática tem causado muitas vítimas, sobretudo aos jovens, porque tomam sem autorização do médico. Por isso, as farmácias devem permanecer mais atentas, uma vez que este medicamento está mais virado para as pessoas da terceira idade. Há, inclusive, casos de jovens que usaram tanto esses comprimidos, não morreram de tensão alta, mas já não têm um desempenho normal. Acabam fazendo recurso a outras substâncias para agradarem, com muitos arranques, a companheira E isso vai causando muitos problemas nos últimos tempos no meio de muitos casais, mas por ser algo muito delicado, não se revelam. Os suplementos, sobretudo nos jovens, tornou-se uma constante, mesmo com muitos conselhos não mudam. Moral da história: outros têm sido pau para toda a obra de algumas companheiras, uma vez que as reclamações têm sido tantas.

error: Content is protected !!