Executivo lança Plano de Promoção da Empregabilidade no final deste mês

O plano, dentre os vários objectivos, visa a promoção do emprego, a formação de jovens empreendedores nos domínios técnico-profissional e de gestão de pequenos negócios, o fomento do cooperativismo, o associativismo juvenil e a valorização das profissões e ocupações uteis à sociedade

O Executivo vai lançar oficialmente, no final deste mês, o Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE), que prevê empregar um número de 250 mil cidadãos. O plano, de âmbito nacional, já aprovado pela Comissão Económica do Conselho de Ministros, assume-se como um instrumento de gestão operacional para a implementação dos objectivos constantes do Plano de Desenvolvimento Nacional 2019- 2022, oferecendo oportunidade de emprego às pessoas vulneráveis de modos a torná-las capazes e úteis mediante a actividade que vão desenvolver. O programa, dentre outros propósitos, visa o reforço da capacidade do Sistema Nacional de Formação Profissional, a promoção da empregabilidade, a formação de jovens empreendedores nos domínios técnico-profissional e de gestão de pequenos negócios, o fomento do cooperativismo e o associativismo juvenil e a valorização das profissões e ocupações úteis à sociedade.

O secretario de Estado do Trabalho e Segurança Social, Manuel Moreira, garantiu que o plano vai reduzir a taxa de desemprego, combater a pobreza, a vulnerabilidade e, com isso, haverá um aumento na economia, o que fará com que o país melhore. Manuel Moreira, que falava num recente encontro de apresentação do referido plano aos membros do Governo Provincial de Luanda e aos administradores municipais, explicou que o Executivo assumiu como um dos eixos de actuação a implementação de programas que visam o aumento dos níveis de empregabilidade, como mecanismo de combate à pobreza e a exclusão social.

No entanto, dados publicados recentemente pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) apontam que 28,5 por cento da população angolana é desempregada, calculada em cerca de três milhões de habitantes nesta condição. Porém, com execução do PAPE, com seu lançamento oficial aprazado para o final deste mês, o Executivo prevê diminuir a actual taxa, apostando na oferta de oportunidade de emprego a jovens desempregados, cidadãos empreendedores que pretendem criar o seu próprio negocio e as pessoas que carecem de aprimoramento técnico e capacitação no domínio de pequenos negócios.

A base de quadros que o país dispõe actualmente provem da formação técnica profissional. Por esse motivo, o Executivo tem investido com relevância para o sistema nacional de formação profissional que, todos os anos, forma centenas de jovens em todo o país. Os interessados a inscreverem- se no PAPE devem fazêlo de forma presencial nos centros de formação profissionais do Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP).

error: Content is protected !!