Desempenho do 2º trimestre da Indústria diamantífera apresentado hoje

O Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos (Mirempet) apresenta hoje Terça-feira, em Luanda, em relatório, as realizações do 2º trimestre do sector dos diamantes e as perspectivas do mercado “Outlook” do 3º trimestre

No primeiro trimestre de 2019, a Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (Sodiam) arrecadou 368,66 milhões de dólares pela comercialização de 2.647.215,12 quilates de diamantes. Segundo a empresa pública, o volume total de vendas corresponde a um aumento de cerca de 31,5% em relação a igual período de 2018, adiantando que o preço médio total do quilate situou-se em 139,26 dólares, representando um “incremento de 6,9%” face ao período homólogo de 2018. No segundo trimestre de 2018, a Sodiam, empresa responsável pela comercialização de toda a produção diamantífera do país, arrecadou receitas avaliadas em USD 316 milhões.

Do referido valor, 295 milhões e 39 mil dólares (93%) eram provenientes da actividade industrial, enquanto USD 21 milhões e 487 mil (6 porcento) tinham proveniência da exploração artesanal. Os diamantes comercializados no segundo trimestre do ano transacto (2018) foram essencialmente provenientes das províncias da Lunda-Sul (85%) e Lunda-Norte, 15 %. A referida comercialização foi resultado da produção de dois milhões, 315 mil e 719 quilates, dos quais mais de dois milhões e 146 mil quilates (92 %) são provenientes da produção industrial e 169 mil e 270 quilates (7%) da produção artesanal. Mais de um milhão e novecentos e oitenta e cinco mil, representando 85% do volume eram de origem kimberlítica e 330 mil e 49 quilates (14,3%) de origem aluvionar.

Na altura, o preço médio total do período situou-se em 136,69, sendo que para produção industrial o preço fixou-se em 137,45 dólares e para a produção artesanal 126,94. No global, o sector diamantífero angolano produziu, em 2018, um total de 9,4 milhões de quilates de diamantes, o que permitiu facturar USD 1,2 mil milhões e o aumento da receita em relação a 2017. O documento do Mirempet avança que serão apresentados dados do desempenho das sociedades mineiras do Catoca, Cuango, Chitotolo, Luó e Somiluna, bem como os projectos mineiros do Camutwé, Lulo, Luminas e Uari Cambange. Na mesma senda, o ministério vai analisar, Quarta-feira, o 2º trimestre do sector das Rochas Ornamentais e perspectivar o 3º trimestre, onde operam empresas como a Galiangol, HM-Granitos, Metarochas, LDA, DFG-África,LDA, Rupsil e Filhos, Angostone, Geovalor, Marlin e Genine Angola.

error: Content is protected !!