“Igualdade de Género” desperta a atenção de fotógrafos reunidos em Budapeste com Angola representada

Inaugurada ontem em Budapeste, na Hungria, a mostra fotográfica colectiva “Igualdade de Género”, poderá ser visitada até ao dia 24 de Agosto na Galeria OTP, sendo que as receitas arrecadadas vão reverter a favor das crianças desfavorecidas em todo o mundo, como sendo dedicatória dos retratistas ao UNICEF (Fundo das Nações Unidas para Infância)

O fotógrafo angolano, Chilala Moco, participa na exposição de um leque de mais de uma dezena de artistas de vários países, com o tema “Ocipala Cutima”, uma abordagem na língua nacional Umbundu, que significa a “face da alma”, justificando que a “Igualdade de Género” não é menor do que a base para construir uma sociedade livre do preconceito e da discriminação. Por essa razão, considera que a alma não tenha género. Com este motivo decidiu registar a partir da sua lente, dois modelos, devido ao que eles representam na sociedade angolana e o seu compromisso com a luta pela “Igualdade do Género”, designadamente, Imanni da Silva e Meirinho Mendes.

“Ela é uma mulher, actriz, escritora, artista contemporânea e activista social. Tem sido bastante destemida na luta pelas liberdades em geral, numa sociedade que é fortemente oposta aos direitos e liberdades das mulheres. Já o outro, actor e director, é um homem inteiramente dedicado à Cultura em geral”, justifica Chila Moco. O também fotógrafo desta publicação diária adstrita ao Grupo Media Nova, acrescenta que Merinho Mendes é também conhecido por ser uma figura de mente muito aberta. “Igualdade do Género não é menor que a base para construir uma sociedade livre de preconceito e discriminação”, apontou, exprimindo a sua maneira de pensar.

Temática

“O poder do projecto reside na sua diversidade. O conceito foi para que cada artista convidado pudesse fazer criações em relação ao tema da ‘Igualdade do Género’, a partir do seu próprio ponto de vista único”, explica o organizador da mostra Dániel Allender Ripka. Chamar a atenção para questões em torno da igualdade de género, reunindo alguns dos maiores artistas do mundo baseados na fotografia, norteou a intenção inicial do projecto, a que se associou o UNICEF, pois trata-se de uma iniciativa única, que foi tornada possível com a dedicação de todos os integrantes da mostra colectiva.

Outras participações

Os artistas que participam neste projecto de fotografia do mundo para a “Igualdade de Género”, conta, entre outros, com as participações de Dina Oganova (Geórgia), Damir Hoyka (Croatia), Isabel Colthier (Bélgica), Ayman Lofty (Egipto), Cássio Vasconcellos (Brasil) Andrew Suryono (Indonésia) e Jason Florio (Inglaterra). Integram igualmente a lista de artistas, Zuzu Vala (Eslováquia), Filip Naudts e Julie O’yang (Bélgica/China), Manuel Rivera-Ortiz (EUA), Chloé Kritharas Devienne (Grécia), Akintunde Akinleye (Nigéria), Bragi Thor (Islândia), Chilala Moco (Angola), Achraf Baznani (Marrocos), Marta Kochanek (Reino Unido), Claudio Edinger (Brasil), Alex Niragira (Ruanda), Swarup Chatterjee (Índia), Sebastian Gil Miranda (França), Irina Werning (Argentina-Alemanha), Dániel Allender Ripka (Hungria).

error: Content is protected !!