“Programa educativo” do Banco Económico explora capacidade artística do público

Desenvolvido e desenhado especificamente para os eventos culturais desta instituição bancária, o programa é dirigido a grupos escolares, famílias e o público em geral, e vai desenvolver cerca de 20 oficinas de aprendizado até 20 de Setembro

Arranca na Sexta-feira (9), na Galeria do Banco Económico, na baixa da cidade capital, o “Programa Educativo”, que permite ao público explorar as potencialidades artísticas em prol da mostra “Untitled 02”. O programa (gratuito) desenvolvido e desenhado especificamente para os eventos culturais do Banco Económico, convida grupos escolares, famílias e o público em geral a participar em cerca de 20 oficinas de aprendizagem até 20 de Setembro. Na Sexta-feira, que é por sinal, o primeiro dia de actividade, o programa reserva conversas com os artistas participantes na exposição “Untitled 02”, acção dirigida ao público pré-universitário, universitário e artistas em formação.

O encontro baseia-se na conversa que terá como tema “Artist Talk – o artista fala com o público”, assim como oficinas de capacitação “Como te preparas para uma Artist Talk?”. Para as famílias, grupos escolares do 1º ao 3º ciclos e Actividade de Tempo Livre , a oficina “D’Ideias – Filosofia para crianças e jovens” será realizada a partir de 12 do corrente. Numa abordagem mais pedagógica, nos dias 15 e 22, será ministrada a oficina “O que pode a Arte?”, que é destinada a professores na área da Educação Artística, estudantes universitários e profissionais que desejem aprofundar os conhecimentos teóricos sobre a arte contemporânea de forma teórico- prática.

Para a administradora da instituição bancária, Henda Teixeira, o projecto tem como objectivo dinamizar a programação cultural da instituição, com vista a estimular a comunidade na qual está inserida e a promover e valorizar a Cultura angolana “O Banco Económico, desde finais de 2015 que procura e age desse modo, através das suas políticas culturais. “Apresentamos agora este programa de educação e de diálogo inter-geracional, quiça único no nosso contexto, cujo objectivo é ajudar a formar seres humanos criativos e com apurado sentido crítico, através do poder transformador da Cultura”, explicou. Desenvolvido pela Nlongi – Plataforma Criativa, constituída por professores/mentores para os mais variados níveis de ensino (do primeiro ciclo ao ensino Universitário), este programa será marcado por grande dinamismo e calendarizado de forma a ser transversal aos diferentes tipos de público.

A exposição

A rotação da mostra colectiva que se encontra patente na Galeria do Banco Económico foi realizada a 31 de Julho. A mesma conta com mais de uma centena de obras, como quadros, esculturas de Álvaro Macieira, Thó Simões, Fineza Teta, Guilherme Mampuya, Armando Scoot, Adriano Cangombe e Francisco Van, assim como trabalhos de recém- formados do primeiro curso do Instituto Superior de Arte (ISART).

error: Content is protected !!