Comunicólogos angolanos com acesso à documentação e informação da UNESCO

Mediante o acordo de cooperação assinado ontem em Luanda, os membros da associação angolana poderão participar como parceiros privilegiados em diferentes conferências realizadas pela UNESCO a nível nacional, regional e internacionalmente

Associação de Comunicólo – gos Angolanos (ACAN) passa a ter acesso à base de dados, estudos e vários relatórios produzidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (UNESCO), segundo disse a OPAÍS, ontem, o presidente da referida associação, André Sibi. A ACAN ingressa, deste modo, em mais uma organização de cariz internacional, seis meses depois da sua fundação, sendo que na primeira assinou um protocolo com o Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA).

De acordo com André Sibi, esta parceria permite também que os membros da ACAN participem em diferentes conferências realizadas pela UNESCO a nível nacional, regional e internacional, comos parceiros privilegiados. O acesso à documentação e informação permite o intercâmbio com algumas ONG internacionais ligadas à educação, parceiras da UNESCO, e outras instituições congêneres. Sempre que os comunicólogos angolanos necessitarem de apoio técnico para a materialização de projectos poderão contar com o suporte desta organização das Nações Unidas. Para André Sibi, com a assinatura deste protocolo, a ACAN marca o seu o quarto passo, depois da idealização da associação, com a sua proclamação e a assinatura de protocolo com o Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA).

A ACAN congrega especialistas das várias áreas da comunicação e tem como prioridades a consolidação da organização, o refrescamento dos quadros e a sua expansão pelas demais províncias do país. Investigação científica, palestras, conferências e seminários têm sido desde a sua criação, em Dezembro de 2018, as áreas de actuação da organização.

error: Content is protected !!