O editorial:E tanto jovem sem o que fazer…

O Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros, em Luanda, necessita de pelo menos 600 nadadores-salvadores para vigiar as 54 praias da capital angolana. Até agora há apenas 162. Estamos em pleno Agosto, próximo já da abertura da época balnear, daqui a um mês. Ou seja, estamos outra vez prestes a ver pessoas a morrer no mar, nas praias, por falta de socorro. Terá este socorro de ser prestado apenas por bombeiros ou salvadores ligados ao Ministério do Interior? Talvez não. Talvez o Estado devesse aproveitar jovens desocupados, ou mesmo estudantes que se entregassem a esta tarefa aos fi ns-desemana, dando-lhes a devida formação, claro. É o que se faz noutras partes do mundo e, assim, além de salvar vidas em perigo, garantia-se ocupação temporária a vários jovens, no país inteiro.

error: Content is protected !!