Augusto Tomás condenado a 14 anos de prisão

Augusto Tomás foi ainda condenado ao  pagamento de 18 meses de multa à razão de 120 Kwanzas por dia.

Por : André Mussamo 

 O Tribunal Supremo deu  assim   como provados os cinco crimes  de que o ex-ministro dos Transportes era acusado pelo Ministério Público devendo cumprir a pena, efectiva, na cadeia.    O réu  Manuel António Paulo foi condenado a 12 anos de prisão e  Isabel Bragança a 10  mas, em resultado de um recurso interposto pela defesa as penas tiveram efeitos suspensivos devendo os mesmos continuar em liberdade.

O  réu  Eurico Pereira da Silva foi condenado a  2  anos de prisão com pena suspensa por, dois  anos. O tribunal tomou esta decisão pelo facto de o réu ter colaborado com a justiça durante  todo processo.

O ex-ministro dos Transportes,  o ex-director-geral do CNC, Manuel António Paulo, e os antigos directores-adjuntos Isabel Bragança, Rui Manuel Moita e Eurico Pereira da Silva foram acusados de peculato, branqueamento de capital, associação criminosa e prática de artifícios fraudulentos para desviar fundos do Estado com o fim de capitalizar as suas empresas e algumas entidades privadas, num montante estimado em mais de mil milhões de kwanzas, 40 milhões de dólares e 13 milhões de euros.

De acordo com o Ministério Público, os réus, além dos desvios indevidos, receberam do fundo de solidariedade o montante de 507 mil e 345 dólares norte-americanos e 3.444.76 euros.

 (Mais detalhes, na edição impressa de Sexta-feira de Opaís)

 

error: Content is protected !!