BNA quer profissionalismo para consolidar sistema bancário

O governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José de Lima Massano, defendeu ontem a necessidade de os trabalhadores bancários continuarem a trabalhar com honestidade e profissionalismo, para que o país tenha um sistema financeiro sólido e robusto

Ao falar na palestra sobre “Memórias da Banca”, promovido pelo BNA para celebrar os 44 anos da actividade bancária no país, Massano sublinhou a necessidade de os quadros do sector continuarem a trabalhar com rigor, honestidade e profissionalismo, para que a banca continue a ser uma referência na sociedade.

Por seu turno, o ex-governador do BNA, António Inácio, propõe a institucionalização do 14 de Agosto como dia do trabalhador bancário pelo papel positivo que sempre teve para a economia nacional.

“Penso ser oportuno, pela contribuição que já foi dada pelos trabalhadores bancários, que essa data seja reconhecida em termos institucionais, assim como existe o dia do trabalhar da saúde e da educação, entre outros”, justificou.

António Inácio exerce actualmente o cargo de presidente do Banco de Investimento Rural (BIR) e disse entender que o país tem actualmente um sistema bancário saudável, porque os trabalhadores representam uma contribuição bastante notável neste aspecto. Ressaltou que no inicio desse processo a banca tinha poucos quadros, mas hoje podem orgulhar- se pelo facto de o sector ter trabalhadores com conhecimentos sólidos, bem dotados e têm estado a contribuir para o crescimento do sistema financeiro bancário.

No quadro das transformações político-económicas que vinham sendo realizadas e tendo em atenção a importância do sistema monetário e financeiro do país, o Governo confiscou o activo e o passivo do então Banco de Angola (instituição que detinha o direito exclusivo de emissão de notas de Banco) e criou em Novembro de 1976 o Banco Nacional de Angola (BNA), com funções de Banco Central, Banco Emissor, Caixa do Tesouro e de Comércio Bancário.

A par disso, em 1976 o Governo confiscou o Banco Comercial de Angola e criou no seu lugar o Banco Popular de Angola (BPA), actuando principalmente como instituição de captação de poupanças individuais.

O trabalho exaustivo realizado por esse grupo de trabalhadores é um marco historicamente determinante da banca em Angola, tendo sido proclamado o 14 de Agosto de 1980 como “Dia do Trabalhador Bancário”. Em 1987, o Governo formulou um conjunto de reformas institucionais com vista a transição para uma economia de mercado, dando prioridade ao sector financeiro,face à sua importância na mobilização das poupanças, na distribuição de recursos e a estabilização macro-económica.

Com base na Lei das Instituições Financeiras, em 1991 iniciouse a implementação de um sistema bancário de dois níveis, passando o BNA a exercer a função de Banco Central, consagrado como autoridade monetária, agente da autoridade cambial e separado das funções comerciais. Dados indicam que o país tem mais de 26 instituições financeiras, lideradas por seis, designadamente. o Banco de Poupança e Crédito (BPC), Banco Angolano de Investimentos (BAI), Banco de Fomento Angola (BFA), Banco Económico, Banco Millennium Atlântico (BMA) e Banco Internacional de Crédito (BIC).

error: Content is protected !!