Festa do desporto rei regressa aos relvados do país

 

Dezasseis clubes disputam a partir de hoje o girabola 2019/2020. o 1º de Agosto é o tetra campeão nacional e entra na prova com o objectivo de revalidar o título

Por:Sebastião Félix

O Girabola 2019/2020, festa do futebol sénior masculino angolano, regressa hoje aos relvados do país. A prova, que começou em 1979 e baptizou o 1º de Agosto como campeão, vai ser disputada por dezasseis clubes. Os regulamentos da Federação Angolana de Futebol (FAF), órgão que rege a modalidade, impõem trinta jogos.

Na primeira volta, as equipas realizam quinze partidas, ao passo que no segundo turno do certame batem-se pelo mesmo número. Assim, no Girabola, vários actores fazem parte da festa em vários domínios enquanto decorrem as jornadas. Os dirigentes criam as condições técnicas e administrativas, ao passo que os atletas animam os adeptos nas bancadas. Por sua vez, os treinadores são obrigados a dar o litro para não serem “chicoteados” antes de terminar a primeira volta.

Os árbitros fazem parte do escalão mais criticado pelos adeptos, treinadores e dirigentes, sempre que a prova arranca. Eles têm a obrigação de ter um papel preponderante nos jogos, uma vez que a prova é muito exigente. O 1º de Agosto, tetra campeão nacional, e o Petro de Luanda, candidatos naturais ao título, reforçaram-se, logo, vão baterse mano a mano. Entre as dezasseis equipas em prova, algumas vão entrar na corrida ao título, mas não terão rotação para continuar.

Como é evidente, outras terão como foco a permanência no Girabla, sobretudo na segunda volta. A crise financeira e económica que assola o país deixou de rastos muitos clubes, por isso o Benfica do Lubango desistiu da prova. O Williet de Benguela o subistituiu e espera, como novato na prova, dar o litro e ser revelação.

error: Content is protected !!