Primeira edição da Expohotel Angola pode juntar mais de 500 expositores

A Associação de risorts e hotéis de Angola (AhrA) realiza de 26 a 29 de Setembro a i edição da Expohotel Angola, a decorrer em simultâneo com o 1º Congresso Nacional sobre hotelaria e Turismo, e espera a participaçao de mais de 500 expositores

Por: Brenda Sambo

Sob lema “Hotelaria aposta certa no Desenvolvimento” a Associação de Hotéis e Resortes de Angola (AHRA) realiza a I edição da Expo Hotel Angola numa área de 25 mil metros quadrados, nas instalações do centro de produção da TPA, na Camama. O presidente da Associação dos dr Hotéis e Resorts de Angola (AHRA), Armindo César, disse, ontem, à imprensa, que a associação pretende, com o evento, dinamizar a rede hoteleira no país.

A AHRA, de acordo com o responsável, pretende juntar todos os produtores do mercado interno num único espaço, no sentido de estabelecer parcerias com os hoteleiros, uma vez que o país não tem divisas para atender toda a demanda. Por isso, chama a atenção aos industriais do país que produzem bens essenciais para a indústria hoteleira, desde a indústria têxtil, fabricantes de copos, talheres, produtores agrícolas, fábricas de detergentes e outros, no sentido de exporem os seus produtos na ExpoHotel.

Com isso, avançou o responsável, pode desenvolver-se a economia e fortalecer a indústria nacionais. “Estamos a prever a participação massiva de todos os industriais do país, pois, ao contrário das outras feiras, vai permitir um contacto e negociação directa com todos os empresários”, disse. Salientou que a iniciativa da AHRA enquadra-se no Programa de Apoio à Produção Nacional, Diversificação das Exportações e Substituição de Importações (PRODESI) do Executivo, que recomenda que se aumente mais a produção interna, por formas a aumentar a exportação. Para a organização da exposição, a AHRA prevê desembolsar Kz 360 milhões e cada empresa expositora terá direito a uma área de exposição que varia de nove a 36 metros quadrados, sendo que cada participante poderá pagar Kz 250 mil por cada stand.

Adiantou ainda que existem alguns operadores do sector que consomem produtos fabricados pela indústria local, mas ainda de forma reduzida, nomeadamente produtos agrícolas e roupas de cama. Sobre a questão dos preços, referiu que a associação pretende negociar com os grandes no sentido de estabelecerem pacotes especiais para os hoteleiros e com preços razoáveis.

“Se queremos que os produtos nacionais estejam nos hotéis e restaurantes, esses devem ser fornecidos a bom preço”, explicou. Quanto ao congresso, esse será de carácter nacional, vai contar com algumas individualidades de Cabo Verde, África do Sul, Zâmbia e Botswana, tudo na pespectiva de recolha de experiências.

error: Content is protected !!