País desmina 108 mil quilometros de estradas

Pelo menos 108 mil e 925 quilómetros de estradas e nove mil e 68 quilómetros de extensão de linhas de transporte de energia foram desminados no país nos últimos 17 anos, anunciou ontem a ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Fernandes Alves, citada pela Angop

Ao avançar os dados, em Ndalatando, Cunza- Norte, a ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Fernandes Alves, durante a abertura da Campanha Nacional de Educação e Prevenção Sobre o Risco de Minas e outros Engenhos Explosivos Remanescentes da Guerra, disse igualmente que outros 10 mil quilómetros e por onde passam os cabos de fibra óptica também foram desminados.

A governante informou que, apesar das acções de desminagem realizadas pelo Executivo e parceiros, o país ainda continua com áreas minadas, pois, nos últimos dois anos (2017/ 2018) e primeiro semestre de 2019, ocorreram 70 acidentes com minas e engenhos remanescentes da guerra, que vitimaram 156 pessoas, entre as quais 87 crianças. Apesar do trabalho já realizado, informou que mil e 200 campos com minas, dos três mil e 293 identificados, após o término do conflito armado no país em 2002, continuam a aguardar por limpeza no quadro do programa nacional de desminagem. Referiu que as províncias do Cuando Cubango, com 267 áreas minadas, Moxico com 247, Cuanza-Sul com 137 e Bié com 125, constituem os territórios do país com maior percentagem de minas.

No mesmo período, foram igualmente libertados do perigo de minas 3.218 quilómetros de extensão de caminhos-de- ferro e 1.336 quilómetros de condutas de água e canais de irrigação que permitiram a circulação de pessoas e bens. Adiantou que nos últimos 17 anos o Executivo e parceiros investiram “bastantes” recursos na desminagem, permitindo a limpeza de 2.090 áreas, das 3.293 identificadas como suspeitas de minas. No Cuanza-Norte estão identificadas 136 áreas suspeitas de minas, tendo sido já desactivados 29.331 engenhos explosivos não detonados desde o ano de 2004, período em que foram registados 18 acidentes com minas.

A Campanha Nacional de Educação e Prevenção Sobre o Risco de Minas e outros Engenhos Explosivos Remanescentes da Guerra, uma acção do Executivo angolano, coordenada pelo ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher (MASFAMU), será realizada num período de 24 meses em todo país, através de palestras, jangos comunitários, teatros e outras técnicas de sensibilização e educação.

O projecto tem por objectivo reduzir o número de acidentes com minas e outros engenhos explosivos remanescentes da guerra em todo território nacional, elevação da consciência e a promoção de atitudes de prevenção e segurança em grupos considerados não vulneráveis (público das grandes cidades, turistas, peregrinos, empreendedores, entre outros). Inserido no Plano Nacional de Desenvolvimento 2017/2022 e no Plano Estratégico de acção contra minas 2018/2025, o programa será desenvolvido por especialistas e activistas devidamente formados, com o apoio dos órgãos de comunicação social, através de divulgação de spots educativos produzidos em língua portuguesa e idiomas locais

error: Content is protected !!