22ª Edição do Festival da Canção de Luanda adequado à Bienal

Este ano o Festival vai decorrer durante a semana da Bienal, marcada para os dias 18 a 22 de Setembro. Assim, resolveu-se adequar o conceito desta edição aos propósitos deste evento, que visa desenvolver e consolidar uma cultura de paz e não-violência, desencadeando um movimento pan-africano que promova a diversidade cultural e a unidade africana.

O Festival tem lugar na Marina do Clube Naval, na Ilha de Luanda, a 20 de Setembro, seguindo a tradição de se realizar na Sexta- feira que antecede o dia em que a Rádio LAC, órgão promotor desta actividade, foi inaugurada oficialmente. Com um júri composto por Manuel Gonçalves, Upale Mónica, Niki Menezes, Anabela Aya e Lito Costa, far-se-á a análise da apresentação, com vista à atribuição do grande prémio e dos quatro parcelares relacionados com a letra, a interpretação, a voz e a produção. No primeiro momento do festival serão apresentados os dez concorrentes provenientes de uma competição travada entre canções. Segue-se a rapsódia que este ano tem novo figurino. “Vários dos nossos melhores intérpretes (Acácio Bambes, Bela Chicola, Carla Moreno, Augusto Chakayá, Edizila, Erica Nelumba, Ivan Alekxei, Lina Alexandre, Sabino Henda e Voto Gonçalves), vão dar voz a canções que marcaram e marcam a nossa vida”, lê-se na nota de imprensa enviada a este jornal. Eduardo Paim será o convidado especial, tendo em conta o tributo que lhe tem sido rendido como iniciador do movimento Kizomba e, igualmente, por estar ligado à LAC desde a sua criação. Importa frisar que a LAC, neste ano, tem dedicado especial atenção à Kizomba e, “quando se festeja a África na nossa terra, nada melhor do que dar destaque a esta dança tão expandida pelo mundo. Os espectadores terão oportunidade de perceber como a Kizomba, não sendo o tema das canções, vai estar presente no nosso Festival”, explica o documento

 

error: Content is protected !!