Ministro da Agricultura solicita mais investimento privado para o sector agrícola

O ministro da Agricultura e Florestas, António Francisco Assis, efectuou neste fim-de-semana (Sábado e domingo), uma visita de campo nos municípios de Cacuso e Kangandala, na província de Malanje, para constatar o funcionamento de algumas empresas instaladas em torno do Pólo Agro-industrial de Kapanda

Por: Miguel José, em Malanje

O ministro instou os aempresários do ramo a investir mais na agricultura, com vista ao aumento da produção e deixar o Estado, apenas, exercer a função de criar políticas de incentivo e de fiscalização das acções agrícolas.

No entanto, António Assis falou da necessidade de haver mais presença do sector privado na arena agrícola, para reverter o actual cenário em que o Estado é o maior operador no sector. Lembrou que o processo de privatização de projectos agrícolas criados com fundos públicos, em curso, vai dar primazia aos investidores que apresentarem propostas que estejam de acordo com o Plano Nacional de Desenvolvimento. “Esta aposta já vem ganhando corpo em Malanje, onde grande parte das fazendas agrícolas é de iniciativa privada, contrariamente ao que se verifica noutras regiões do país”, salientou.

O titular da pasta ministerial,garantiu que o seu pelouro vai continuar a dar suporte a agricultura familiar, pelo que encorajou os camponeses a envolverem, também, as crianças das suas comunidades para que as populações consigam alcançar a autosuficiência alimentar. Do mesmo modo, lançou o compromisso de apoio às cooperativas e de, juntos, continuarem a desenvolver a actividade agrícola com o fito único de elevar a produção ao auto-sustento das famílias. “Nós não vamos vos abandonar. Vamos fortalecer as relações que temos. Vamos nos empenhar para que vocês consigam desenvolver com mais força, o trabalho que estão a fazer”, garantiu.

Ministro satisfeito

Depois de tomar contacto com os empreendimentos agrícolas e agro-industriais instalados nos municípios de Cacuso e Kangandala, ligados à produção de cereais, essencialmente, milho e soja, bem como a criação de gado, o ministro exaltou a sua satisfação, pelos mesmos estarem a funcionar de acordo com a política de diversificação económica traçada pelo Executivo.

Em face de algumas dificuldades, endógenas e exógenas, próprias do contexto, encorajou os empresários a continuarem a trabalhar e a emprestar o máximo das suas capacidades cognitivas para desenvolverem a produção agrícola, em prol da economia. E, no sentido de ajudar a fortalecer a produção agrícola, a mais alta entidade ministerial garantiu que a sua instância vai apetrechar de meios (que não especificou) aquelas unidades produtivas, com o intuito de melhorar a actividade. “Eles vão chegar brevemente, e vocês vão ver”, realçou. No entanto, a província de Malanje destaca-se nas culturas de mandioca, arroz, algodão, milho, batata-doce, ginguba, girassol, feijão, soja, sisal e hortícolas. Na criação animal, destaca-se a pecuária, para corte e leite, de gado bovino, além de caprinos, suínos e ovinos. Outra criação de animais de relevo, para carne e ovos, está nos galináceos.

error: Content is protected !!