Biocom emprega 2 mil e 800 funcionários

Na província de Malanje, a biocom lidera o sector privado com 65% e representa 80% de empregos. Actualmente, mais de 2 mil pessoas trabalham na fábrica, em diferentes sectores

Considerada como a maior empresa na província de Malanje, a Biocom conta com programas de desenvolvimento pessoal e académicos, para o crescimento técnico e profissional dos funcionários e trabalha com produtores locais no fornecimento de produtos alimentares. De acordo com o coordenador de Relações e Comunicação, Gerri Vissapa, o crescimento da empresa está em concordância com o desenvolvimento da comunidade. Actualmente, a Biocom conta com mais de 2 mil funcionários que residem entre os municípios de Cacusso e Malanje.

“Na empresa, os 2 mil e 800 funcionários são acompanhados por programas vocacionados para o crescimento técnico e para alcançar outros níveis durante a carreira profissional. Por essa razão, em 2015, foi instalado um programa de desenvolvimento pessoal e uma das características passa por dar formação aos funcionários nacionais para ocupar o lugar de expatriados”, explica. Segundo aquele responsável, na medida em que os nacionais são formados do ponto de vista técnico e estrutura de liderança, todos os anos há uma redução no número de expatriados na empresa e os lugares estratégicos são ocupados por funcionários nacionais.

“Neste momento, a empresa conta com 95 expatriados num efectivo total de 2 mil e 800 trabalhadores. Além do programa de valorização pessoal, existem outros
que valorizam a produtividade de de cada um, que participa dos programas da empresa”, avança.

Para Gerri Vissapa, a empresa está ciente das necessidades das comunidades e da província, por essa razão foram desenhados programas que vão ao encontro destes problemas, como é o caso da alfabetização e acompanhamento e apoio a área de saúde, através de palestras e participação nas campanhas. No que diz respeito à comunidade de Cacusso, a área agrícola conta com mais de mil colaboradores, contratados no município com o mesmo nome e nas comunidades que estão ao longo das plantações.

Da sede do município de Cacusso até à plantação, vindos de todas as comunidades, em cada cinco jovens, dois, tendo idade laboral, trabalham na Biocom. A empre-

error: Content is protected !!