escola comunitária acolhe mais de 800 crianças no “Maiombe-b”

Com vista a minimizar o mal de as crianças ficarem fora do sistema de ensino, nasceu no Município do Cacuaco, bairro Kaope Velha, no sector da Maiombe-b, um projecto social e filantrópico que acolhe 876 alunos do ensino primário e 1º Ciclo. Dog Murras promete ajudar.

A iniciativa é do jovem João Augusto Domingos Reis, que olhando para carência de escolas públicas e o número exagerado de alunos fora do sistema público de ensino na sua comunidade, decidiu criar uma escola a que deu o nome de “Esperança do Saber” com vista a acudir a esta situação.Porém, esta opção, que precisa de muita coisa para dar um mínimo de dignidade aos alunos e aos professores que lá leccionam, carece de tudo um pouco, apesar das salas improvisadas, com chapas, para acolher crianças e adolescente que buscam a educação escolar. O responsável do projecto fez saber que a escola conta com alguns apoios, mas insuficientes para dar cobro às despesas da instituição e, por essa razão, solicitam a comparticipação dos encarregados de educação com 500 Kwanzas/ mês, para subsidio dos professores.

“A comunidade carece de tudo um pouco, as instalações não são condignas, mas é o máximo que podemos fazer para minimizar a situação dos alunos fora do sistema de ensino, sendo que, além destes que cá estão, nos arredores há outros mais que igualmente precisam”, disse. João Reis clama por ajuda, uma vez que se está a aproximar a época chuvosa e as condições de acesso à escola são precárias, tendo em conta os solos que suportam a estrutura da referida escola em Cacuaco.

Por essa razão, devido à lama concentrada que se acumula em tempo de calor, solicita a pessoas de boa-fé, bem como ao governo local. que dêem cobro à situação, a fim de ela não vir a ser o motivo principal para que as aulas sejam suspensas.

Acção Jovem

Dado o grito de socorro em prol da sobrevivência da escola “Esperança”, alguns colaboradores do projecto Acção Jovem, sob liderança do músico e activista social Dog Murras, efectuaram uma visita às instações da escola e comovidos com a situação deixaram material didáctico. Sem precisar datas nem que outros apoios poderão advir da Acção Jovem, Dog Murras garantiu que fará tudo o que puder, por via da sua rede de contactos, para que a escola consiga outros apoios, sobretudo ligados a materiais de construção.

Ladeado dos também músicos e activistas sociais MCK e Gansta, Dog Murras felicitou a iniciativa do jovem João Reis, tendo reiterado que “acções que visam fazer o bem sem olhar a quem é de todo agradável e bastante louvável”. “Ele sozinho fez a escola. Diferente de muitos dirigentes, hoje acometidos com a justiça devido a crimes de peculato, quando os seus olhares deviam estar virados para cultura do bem e do amor ao próximo. Educação é o caminho, e esta é a resposta que África precisa para ultrapassar todos os seus contratempos”, defendeu o activista e artista, Dog Murras.

error: Content is protected !!