SiC detém comerciantes de carne de jumento

A carne de jumento era comercializada nos mercados informais do lubango, Chibia e Humpata, na província da Huila, e ainda por três indivíduos, dois dos quais estão detidos preventivamente pelo Serviço de investigação Criminal (SiC)

Por:João Katombela na Huila

Manuel Samba e Paulo Daniel, de 31 e 32 anos respectivamente, foram detidos na semana finda, na sequência de uma denúncia feitas à Polícia Nacional, na Chibia, pelos proprietários dos animais que terão sido abatidos e a comercializada. Ambos foram apresentados ontem pelo SIC na província da Huíla, no município da Chibia, a 45 quilómetros da cidade do Lubango, onde se encontram detidos. Segundo o porta-voz da direcção provincial do SIC, Sebastião Vika, os dois acusados comercializavam supostamente a carne de burro, fazendo-as passar por carne de vaca.

Para o efeito, abatiam os animais num matadouro clandestino localizado nas imediações do mercado informal do município da Chibia. Sebastião Vika informou que os detidos praticavam tais actos há já algum tempo, por isso acredita-se que muitas pessoas terão consumido a carne destes animais que, no entender dos criadores desse animal, não é comestível. “O SIC está a desencadear várias acções para o descobrimento de locais clandestinos onde são abatidos o gado bovino, suíno e caprino sem cumprir os procedimentos legais”, frisou, ressaltando que estes locais, os matadouros, devem ter a certificação do animal e da qualidade da carne.

Na sequência, Sebastião Vika informou que com os dois cidadãos foram retidos dois jumentos, várias ossadas e peles destes animais, o que pressupõe que parte da carne foi comercializada. Para além dos mercados informais do Lubango, Chibia, Humpata, a carne dos jumentos era comercializada num dos mercados da Zaire, onde também existe um comerciante. “Existem informações por apurar segundo as quais há uma senhora na província da Lunda Sul que comercializava a mesma carne”, revelou. Por outro lado, o SIC na província da Huíla alerta todos os cidadãos a terem cuidado com o consumo da carne que venha de matadouros duvidosos.

Em declarações à imprensa, os dois cidadãos admitiram ter praticado tal acção, alegando ter sido a mando de uma senhora que se encontra na província do Zaire. Manuel Samba disse que pratica tal actividade há um mês. No entanto, os jumentos não foram roubados. Compraram três no valor de 20.000 Kwanzas e revendido a senhora, que se encontra temporariamente fora da Huila, entre 23.000 a 22.500 Kwanzas. “Nós compramos os burros vivos e ela nos manda matar para levar a carne no Soyo.Não sabia para que fim, porque eu não como carne de burro”, justificou-se. Já, Paulo Daniel, de 32 anos, argumentou que é apenas um pastor que se dedica ao cuidado do gado de muitos que comercializam os seus derivados no município da Chibia. “Eu sou apenas um pastor. Só estava a pastar os animais, por isso me apanharam”, explicou.

 

error: Content is protected !!