Peregrinação à Muxima assegurada por mais de 800 polícias

Mais de 800 efectivos da Polícia Nacional estão destacados na Quiçama e ao longo das Estradas Nacionais que a ligam as zonas Norte e Sul do país, desde ontem, assegurando a 19ª edição da Peregrinação ao Santuário da Muxima que decorre até amanhã.

Participam do evento cerca de um milhão de fiéis e entidades religiosas das igrejas que compõem a Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST), provenientes das 18 províncias e do exterior, de acordo com a organização. A presença dos efectivos visa elevar o sentimento de segurança dos participantes mediante acções de prevenção antes, durante e depois da realização do evento.

Para o efeito, o Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional montou vários sectores que comportam o cordão de segurança com 451 efectivos para Sexta e Sábado cada e amanhã, por ser o principal dia do evento, estarão destacados mais de 800 efectivos. Hermenegildo de Brito, director de Comunicação Institucional e Imprensa desse órgão castrense, esclareceu que essa medida devese ao facto de se tratar de um evento suque envolve muitas pessoas. Segundo o intendente, atendendo as possíveis ameaças e riscos torna-se imprescindível a adopção de medidas de prevenção que possam anular quaisquer situações anómalas que podem ocorrer no local ou nas cercanias.

Para a prevenção à sinistralidade rodoviária foram montados destacamentos nas Estradas nacionais 100, 110, 225 e 230 por darem acesso ao santuário. “Vamos realizar patrulhamento nas Estradas Nacionais, fiscalizar a condução sob efeito de álcool, bem como o transporte de passageiros em excesso de lotação ou em veículos de transporte de mercadorias, especificamente, até ao último dia do evento”, garantiu o oficial numa nota de imprensa enviada a nossa redacção. Além das equipas de patrulhamento apeado e auto, ligados à Ordem Pública, os efectivos da Polícia Fiscal também estão presentes com a incumbência de fazer o mesmo, no rio Kwanza.

Eles estão a proceder o patrulhamento fluvial ao longo do rio Kwanza desde a comuna de Calumbo à Vila da Muxima, fazendo os percursos Muxima-Dondo e Cabo Ledo-Praia do Sangano, bem como fiscaliza as embarcações que transgridam as leis e regulamentos marítimos.

De acordo com a Polícia, as peregrinações à Muxima têm sido imbuídas de sentimento de muita euforia, apesar de ser um movimento religioso e que muitos se dirigem ao Santuário com objectivos inconfessos e se verifica, muitas vezes, o abuso excessivo de bebidas alcoólicas, roubos e furtos. Hermenegildo de Brito adverte que os actos de vandalismo não serão tolerados e exorta, de uma maneira geral, aos cidadãos que se dirigirem à Muxima a adoptarem uma conduta exemplar e fazer dessa jornada uma verdadeira bênção, com ordem e segurança.

 

leave a reply