Peregrinos à Muxima rezam pelas vítimas de acidentes

Valódia Adão Manuel e Victória Morais José, de 38 e 30 anos respectivamente, foram atropelados mortalmente na Sexta-feira, na vila da Quiçama, onde se encontram milhares de devotos da “Mamã Muxima”, por um autocarro que perdeu os travões. Aguilson de Carvalho Domingos de Almeida, de 41 anos, transportou vários peregrinos no autocarro de marca Leylande, de cor branca com a chapa de matrícula LD-62-82-CJ, que causou o incidente. Durante a procissão de velas realizada na noite de ontem, os peregrinos rezaram também pela alma dos dois jovens e voltarão a fazêlo hoje, na missa de encerramento que será presidida pelo bispo de Viana, Dom Emílio Sumbelelo. A celebração contará com a participação de milhares de devotos à Muxima e a presença de diversos membros do Governo.

Valódia Manuel, funcionário da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE) se deslocará ao local em missão de serviço. Segundo apurou OPAÍS, ele pertence a uma família que professa a religião católica há décadas na Paroquia de Nossa Senhora das Graças, no bairro da Precol, Distrito Urbano do Rangel. Não obstante a esse incidente, os peregrinos mantém a crença de que vão receber diversas bênçãos, entre as quais, saúde e prosperidade para as suas famílias. Em declarações à Angop, a devota Rita Teresa, de 37 anos, que há mais de dez anos se desloca do Cuanza Sul à Quiçama para manifestar a sua devoção mariana, disse ter certeza da fé em Jesus Cristo, através da mamã Muxima. A religiosa reconheceu que graças a sua frequência às romarias conseguiu conceber os seus dois filhos, após muitos anos de fracasso. Já a peregrina Elisa Augusto, de 42 anos, disse que graças à Muxima a sua saúde e da sua família melhorou substancialmente.

error: Content is protected !!