irão ameaça dar “passo mais firme” para se distanciar do acordo nuclear se a Europa não agir

A República islâmica disse que violará um por um os limites impostos pelo acordo às suas actividades nucleares.

O Irão está preparado para dar um “passo mais firme” na redução dos compromissos com o acordo nuclear de 2015 com potências mundiais se países europeus não agirem para salvar o pacto, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores nesta Segunda-feira (2). A República Islâmica disse que violará um por um os limites impostos pelo acordo às suas actividades nucleares, aumentando a pressão sobre os países que ainda esperam salvá-lo, e ameaçou adoptar novas medidas até 6 de Setembro, como um enriquecimento de urânio de 20% ou a reactivação de centrifugadoras que o realizam. “O Irão está preparado para reduzir os seus compromissos se as partes europeias não mostrarem determinação suficiente. O terceiro passo foi concebido e sedR dR Ex-primeira-dama da Guatemala Sandra Torres Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irão, Abbas Mousavi rá mais firme do que o primeiro e segundo passos para criar equilíbrio entre os direitos do Irão e os compromissos com o JCPOA”, disse o porta-voz Abbas Mousavi, segundo a agência estatal de notícias Irna, usando a sigla do acordo nuclear. O vice-ministro iraniano das Relações Exteriores, Abbas Araghchi, está a caminho de Paris para conversar com autoridades francesas sobre o pacto. Também nesta Segunda-feira (2), o porta-voz do Governo do Irão disse que as opiniões da sua nação e da França a respeito do acordo se aproximaram, sobretudo depois de telefonemas entre o Presidente Hassan Rouhani e seu colega francês, Emmanuel Macron. “Felizmente, os pontos de vista se aproximaram em muitas questões, e agora estão a ser realizadas discussões técnicas sobre maneiras de cumprir os compromissos europeus (com o acordo nuclear)”, disse o porta- voz Ali Rabiei em comentários transmitidos pela televisão estatal, sem entrar em detalhes.

Acordo foi iniciativa de Obama Em 2015, o Irão aceitou assinar um acordo nuclear com as cinco maiores potências do mundo (Estados Unidos, Reino Unido, França, China e Rússia) mais a Alemanha. O objetivo era impedir que o país desenvolvesse armas nucleares. Em contrapartida, as sanções da ONU contra o país seriam suspensas.

O Presidente dos EUA, então, era Barack Obama. Donald Trump, eleito em 2016, diz considerar o acordo nuclear com o Irão como o “pior da história”. Em Maio de 2018, ele reimpôs às sanções contra o país. Desde então, as tensões entre as duas nações se acirraram. Em Junho, Trump chegou a dizer que decidiu abortar um ataque contra o Irão em cima da hora.

error: Content is protected !!