novos autocarros para serviços públicos

dez novos autocarros, entregues pelo Ministério dos Transportes, estão disponíveis aos operadores privados da província do Bengo para a sua exploração, deu a conhecer ontem o director do gabinete Provincial dos Transporte, Tráfego e Mobilidade urbana do Bengo, Cândido da Costa Cadifete

Para ter acesso ao concurso de aquisição dos novos meios, os concorrentes devem estar a operar na província há mais de três anos, não ter dívidas para com o Estado resultantes do exercício anterior (2017), ter capacidade financeira e estaleiro para manutenção.

Os novos autocarros estão avaliados em 58 milhões de Kwanzas cada e o operador que o quiser terá de pagar cerca de quatro milhões de Kwanzas para a assinatura do contrato e depois disso pagar 461 mil 976 Kwanzas mensalmente durante dez anos (120 meses). Lembrou que apenas uma, das seis operadoras privadas de transporte da província do Bengo que em 2017 beneficiaram de autocarros está a honrar a sua dívida para com o Estado.

O responsável explicou que os autocarros entregues em 2017 estão avaliados entre sete e nove milhões de Kwanzas, mas as operadoras furtam-se ao pagamento das prestações mensais, com excepção de uma delas e o assunto está entregue ao Governo do Bengo, uma vez que os visados já foram notificados por mais de quatro vezes, mas não compareceram para resolver o caso.

O Bengo não dispõe de qualquer operadora de transportes públicos, sendo o transporte de passageiros e mercadorias feito por seis operadoras privadas. Por outro lado, reiterou a proibição dos veículos com menos de 30 lugares (sobretudo os vulgarmente conhecidos como Hiaces) de fazerem rotas inter-provinciais. Segundo o director do Gabinete Provincial dos Transportes, Tráfego e Mobilidade Urbana do Bengo, Cândido Cadifete, apenas os autocarros colectivos com mais de 32 lugares estão autorizados a fazer as rotas inter-provinciais e quem os licencia é o Instituto Nacional dos Transportes Rodoviários.

Por outro lado, revelou que na província a adesão ao licenciamento para o serviço de táxi tem sido muito fraca, apesar das acções de sensibilização levadas a cabo pelo Gabinete Provincial dos Transportes, Tráfego e Mobilidade Urbana do Bengo. Disse que o Gabinete Provincial dos Transporte, Tráfego e Mobilidade Urbana do Bengo licencia apenas os táxis que fazem as rotas inter-municipais e inter-urbanos, tendo registado em 2017 42 viaturas e arrecadado um milhão 235 e 200 Kwanzas, enquanto em 2018 licenciou apenas 23 viaturas, arrecadando 594 mil e 800 Kz.

error: Content is protected !!