“Partido” de Abel Chivukuvuku recolhe assinaturas na Lunda-Sul

A comissão instaladora do Partido do Renascimento Angolano “PRA JAServir Angola” espera recolher mais de mil e 500 assinaturas na província da Lunda-Sul, onde lançou nesta Segunda-feira uma campanha de recolha de subscrições para a sua legalização no Tribunal Constitucional (TC). A recolha das assinaturas visa cumprir a Lei dos Partidos Políticos que estabelece, para a legalização de uma formação política, 7.500 subscrições, a nível nacional, sendo necessárias 150 em cada província. No lançamento da campanha, o coordenador provincial da comissão instaladora, Fernando Mutombo, afirmou que a recolha deverá ser feita porta a porta nos diferentes bairros da província. No mês transacto, o TC rejeitou a sigla do novo partido de Abel Chivukuvuku, o Partido do Renascimento Angolano – Juntos por Angola (PRA-JA).

Já na última Quinta-feira, o Tribunal Constitucional deferiu um pedido de credenciamento da comissão instaladora do PRA JA – Servir Angola, depois da necessidade que houve da alteração da sigla. Agora a nova força preparase para dar entrada do processo de legalização no TC, numa nova tentativa, mas com a designação PRA – JA Servir Angola. O país conta com 11 partidos políticos e uma coligação de partidos legalizados, dos quais cinco com assento parlamentar, nomeadamente MPLA, UNITA, PRS, FNLA e CASA-CE.

error: Content is protected !!