Projecto linkages diagnostica mais de duas mil pessoas com VIH em três províncias

O projecto linkages, de apoio às organizações da sociedade civil e grupos comunitários que prestaram serviços de prevenção, testes e cuidados relacionados ao viH, diagnosticou mais de duas mil pessoas com viH-positivo, nas províncias de luanda, Bié e Benguela

O Governo dos Estados Unidos, através da sua Agência para o Desenvolvimento Internacional (USAID), em colaboração com o Governo de Angola e a sociedade civil angolana, encerraram o projecto Linkages. A cerimónia de encerramento foi presidida pela Dra. Maria Lúcia Furtado, directora do Instituto Nacional de Luta contra a SIDA, e da parte do Governo dos Estados Unidos pela embaixadora Nina Maria Fite.

A ocasião foi também uma oportunidade para partilhar resultados bem-sucedidos que este projecto alcançou na melhometas ria dos serviços relacionados ao VIH para populações-chave, como homens que fazem sexo com homens e mulheres trabalhadoras do sexo, nos últimos quatro anos. Durante a implementação do projecto, mais de duas mil pessoas foram diagnosticadas como sendo VIH-positivas e 80% delas começaram de imediato o tratamento anti-retroviral.

A diplomata dos EUA salientou que “para o Governo americano, o projecto foi de extrema importância porque permitiu que as populações-chave, autoridades locais e sociedade civil trabalhassem juntas para fazer mudanças positivas”. Para si metas e objectivos comuns permitiram uma colaboração eficaz que impulsionou o sucesso das actividades.

O projecto realizou ainda o primeiro estudo de prevalência do VIH e outras infecções sexualmente transmissíveis em populações- chave em cinco províncias: Luanda, Bié, Benguela, Cabinda e Cunene. Também desenvolveu um pacote abrangente de intervenções e ferramentas que atendem às necessidades específicas desses grupos na prevenção do VIH, outras doenças sexualmente transmissíveis e violência baseada no gênero, incluindo um sistema integrado de informações sobre saúde que permitiu ao Ministério da Saúde e à sociedade civil rastrear todos os pacientes na comunidade ao longo deste tempo.

A estreita cooperação com o Ministério da Saúde, o Instituto Nacional de Luta contra VIH/ SIDA e a ANASO ajudou bastante no apoio de organizações da sociedade civil e grupos comunitários para levar serviços de prevenção, testes e cuidados relacionados ao VIH para mais de 61,000 pessoas, incluindo a distribuição de mais de 2 milhões de preservativos e lubrificantes nas províncias de Luanda, Bié e Benguela. Através do Plano de Emergência do Presidente dos E.U.A. para o Alívio do SIDA (PEPFAR), o Governo dos Estados Unidos continuará a apoiar a luta contra o VIH/SIDA em Angola com USD 10 milhões previstos para o próximo ano. Alinhado com a iniciativa da Primeira-Dama angolana, “Nascer Livre para Brilhar”, este apoio vai avançar na luta contra o VIH através da prevenção da transmissão de mãe para filho, que faz parte do objectivo final do governo angolano de eliminar completamente o SIDA até 2030.

error: Content is protected !!