Furacão Dorian avança sobre a costa Este dos Estados Unidos

O Furacão Dorian avança sobre a costa Este dos Estados Unidos Na noite de quinta-feira, o centro do furacão estava a cerca de 75 quilómetros de Myrtle Beach, na Carolina do Sul. A força do Dorian oscilava entre o categoria 2 e 3 da escala Saffir-Simpson e registou ventos de mais de 160 quilómetros por hora. Foi declarado o estado de emergência. Escolas foram encerradas, abrigos foram abertos e a guarda nacional colocada em estado de alerta. De recordar que, nas Bahamas, o Dorian deixou um rasto de morte e destruição. Pelos menos trinta pessoas morreram no arquipélago Atlântico, mas as autoridades esperam que o número de vítimas mortais venha a aumentar. As autoridades indicaram que a prioridade é resgatar e dar assistência urgente aos idosos e doentes, que estão a ser transferidos para as ilhas que não foram afetadas pelo furacão que atingiu o território com a categoria 5, o máximo da escala. “70 mil pessoas nas ilhas de Ábaco e Grande Bahama precisam de ajuda humanitária urgente, de acordo com as Nações Unidas.

Essa ajuda parte daqui, da capital, Nassau, onde está a ser reunida. É também aqui, ao aeroporto internacional, que chegam os deslocados. Fazer chegar ajuda até às ilhas do norte, mais isoladas, é uma tarefa difícil. Existem três maneiras de chegar lá: de barco de avião e de helicóptero, mas há apenas um porto em funcionamento onde alimentos e outros produtos podem ser deixados. Existe apenas uma pista no aeroporto que está a receber a ajuda de uma forma muito limitada. As pessoas estão a ser retiradas de helicóptero pela Guarda Costeira dos Estados Unidos, por exemplo. Tenho falado com muito pessoal da ajuda humanitária aqui, nas Bahamas, e há uma sensação de frustração. A comida, a água e os medicamentos, por exemplo, não estão a chegar às ilhas com a urgência necessária,” revela o jornalista Philip Clowther.

error: Content is protected !!