Carta do Leitor: Queremos médicos da cabeça

Caro director d’OPAÍS. Nós os angolanos falamos muito agora dos direitos e deveres e também dos valores cívicos. Mas não estamos a cumprir. Não é o Estado. É cada ser humano, cada uma pessoa, cada cidadão. Estes direitos e deveres e valores, no meu ponto de vista, dependem da maneira como nós nos relacionamos com os outros. Mas nem vou falar do meu trabalho, onde os chefes não respeitam as pessoas, nem da maneira como os miúdos de hoje não respeitam os mais velhos. Eu acho que o nosso povo não está bem da cabeça, é preciso mais médicos. Da cabeça. uma forma de ver isso, eu penso, é se quem se porta mal é só o povo mal analfabeto ou se é também os da alta. Ou da média. Podemos ver que estamos todos mal no trânsito. Então aqueles tios e tias que andam nos carros bem caros, limpos. É só dinheiro e nada de educação? O que eu vejo, é mais esses tios que não param na passadeira. É esses tios arrogantes que não podem esperar na fi la e vão logo em cima do passeio. Se é no cruzamento, entram fora de mão e o trânsito fi ca todo parado. No trânsito não tem diferença se és da alta ou taxista. Todos aí mostram que não estão bem da cabeça. Acho que o Governo devia formar mais médicos da cabeça. O que se vê em Angola não é normal. É chato mesmo l. O game está violento. E viciado.

Francisco Zau Luanda

error: Content is protected !!