Alexis Peskine inicia Residência Artística no Espaço Luanda Arte

O artista encontra-se há quase dois meses na Residência Artística em Luanda, com o título Angola AIR, a pesquisar e a trabalhar com uma equipa dedicada

Augusto Nunes

é inaugurado Quinta-feira, às 18 horas, no Espaço Luanda Arte, edifício da De Beers, na baixa de Luanda, o atelier do artista franco-brasileiro Alexis Peskine.

A oficina reunindo obras diversas será apresentada pelo artista e pelo escritor Adriano Cangombe, em parceria com a Casa Rede, na Avenida Hoji Ya Henda, 47 – 6º piso, e poderá ser visitada de Segunda a Sábado.Curiosamente, os trabalhos deste renomado artista são ‘retratos’ da diáspora africana em  técnica mista numa escala grande, que são renderizados martelando, com precisão pontual, pregos dourados de tamanhos diferentes, em madeira manchada com café e lama para criar imagens compostas de tirar o fôlego.

“Alexis Peskine, descreve figuras que retratam força e perseverança, com energia que lembra as ‘fi guras de poder’ de Minkisi carregadas espiritualmente na Bacia do Congo. Também produz impressionantes trabalhos em suporte fotográfico e vídeo”, lê-se na apresentação. A Residência Artista de Alexis Peskine, no Espaço Luanda Arte, serge a convite do produtor, crítico de arte e director da referida galeria, Dominick Tanner. O artista encontra-se há quase dois meses na Residência Artística em Luanda, com o título Angola AIR, a pesquisar e a trabalhar com uma equipa dedicada.

Percurso

Alexis Peskine nasceu em Paris, França, em 1979. Nos primeiros  anos de vida, Peskine foi exposto a questões de identidade: os seus avós, Boris, um engenheiro judeu, sobreviveu a um campo de concentração, e António, um carpinteiro afro-brasileiro, criou a sua família no interior de Salvador, Bahia.

Peskine é licenciado em Belas Artes pela Howard University, Washington DC, mestrado em artes digitais e mestrado em artes plásticas pela M.I.C.A., Baltimore, Maryland, EUA. Recebeu vários prémios de prestígio, incluindo uma bolsa de estudos Fulbright e o prêmio Hennessy Black Masters Art Competition.

Na última década, Peskine trabalhou com jovens em Paris, França, Senegal e Brasil para criar uma série de peças monumentais, tendo a maior de todas elas sido produzida em França em 2012. Peskine participou em exposições internacionais de renome, incluindo o 3º Festival Mundial de Artes Negras em Dakar, Addis Foto Fest, Pulse Nova York, as Bienais de Casablanca e Dakar, e a exibição do Prémio Miami Art Base

error: Content is protected !!