Estado vende cinco fábricas por USD 16 milhões

O valor arrecadado fica aquém do valor projectado inicialmente que era de 80 milhões de dólares norte-americanos (14,6 mil milhões de kwanzas). Segundo uma fonte ligada a operação “o mercado ditou o valor final”. As cinco unidades custaram aos cofres do estado durante a fase de sua construção 30 milhões de dólares, de acordo com dados avançados pelo Conselho de Administração do Instituto de Gestão de Activos e Participação do Estado (IGAPE). Foram privatizadas a Carton, Indugidet, Juntex, Univitro e Coberlen, alienadas pelo Instituto de Gestão de Activos e Participação do Estado (IGAPE) que fez a entrega nesta Segunda-feira das primeiras chaves aos novos proprietários, após assinatura dos contratos de aquisição. A cerimónia foi orientada pelo presidente do Conselho de Administração do IGAPE, Valter Barros, testemunhada pelo presidente da Zona Económica Especial (ZEE), Henriques da Silva, representantes da Sonangol e investidores.

A Carton, unidade para embalagens de caixas, foi adquirida pela empresa Angolissar, por 100 milhões e 220 mil Kwanzas, contra a proposta inicial do IGAPE, de três mil milhões, 26 milhões, 326 mil e 177 kwanzas. A Indugidet, fábrica de produtos de higiene e detergentes, foi comprada pela empresa Azoria, no valor de três mil milhões, 337 milhões e 200 mil Kwanzas contra seis mil milhões, 82 milhões 193 mil e 503 Kwanzas em termos de preço de referência. Já a indústria de argamassa para assentamento e revestimento de paredes, a Juntex foi vendida ao preço de 225 milhões de Kwanzas à empresa Ecoindustry, dos mil milhões 121 milhões 54 mil e 249 Kwanzas propostos. A Univitro, a única em funcionamento do total das cinco, foi alienada à empresa Zeepack, no valor 555 milhões, contra dois mil milhões, 689 milhões, 453 mil e 498 Kwanzas.

A Zeepack também pagou a compra da Coberlen, unidade para fabrico de cobertores, tendo investido para sua aquisição 295 milhões de kwanzas contra mil milhões 685, milhões 477 mil e 221, como preço de referência. Para a segunda fase deste processo de privatizações estão previstas outras 25 unidades industriais da Zona Económica Especial (ZEE) Luanda Bengo, de um total de 52 unidades instaladas.

error: Content is protected !!