UNITA acusa Governo de excluir o Sul do país das prioridades

O presidente da UNITA acusou ontem, no Lubango, capital da província da Huíla, o Governo de excluir das suas prioridades as províncias da Huíla, Namibe, Cunene e Cuando Cubango

Por:João Katombela, na Huíla

Isaías Samakuva, que falava à margem da cerimónia de abertura das VIII Jornadas Parlamentares do seu partido, que decorrem de 9 a 14 deste, nas províncias da Huíla e do Cunene, sustentou que as quatro regiões possuem uma população estimada em 4 milhões 958 mil e 200 habitantes, o equivalente a 17 por cento da população de todo o país. Apesar desta densidade populacional, o líder da UNITA deplorou o facto de receberem apenas 3 por cento da despesa total que o Governo executa no quadro do Orçamento Geral do Estado. “Isto significa, senhoras e senhores, que o Governo Central Excluiu o Sul do país das suas prioridades. Significa que o Governo angolano abandonou os seis eixos fundamentais de desenvolvimento do país que constam no Plano Nacional de Desenvolvimento 2018/2022”, sustentou. No seu entender, a resolução dos problemas que afligem a região Sul do país não deve depender de um governador que recebe ordens de Luanda, mas da necessidade da implementação da autonomia local. “É com base na autonomia local que se devem institucionalizar as Autarquias Locais em todos os municípios da Huíla, do Namibe, do Cunene e do Cuando Cubango”, disse.

Acrescentou que Angola só poderá resolver os problemas locais da fome e da seca com a autonomia local das populações que constituem as autarquias locais.

Visitas durante as jornadas

Durante uma semana, os deputados do Grupo Parlamentar da UNITA vão trabalhar junto das populações, discutindo com os interessados, incluindo alguns administradores municipais, as melhores vias, não só para se mitigar a crise, como também para promover o desenvolvimento integral das pessoas nesta região do país.

Fiscalizar mais as acções do Executivo

Por outro lado, Isaías Samakuva exortou os deputados a intensificar as suas actividades fiscalizadoras aos actos do Executivo, no âmbito das suas VIII Jornadas Parlamentares. Na abertura destas jornadas, apontou que as mesmas têm como objectivo preparar a agenda da UNITA para a 3ª Sessão Legislativa da IV Legislatura da Assembleia Nacional, que começa dentro de um mês. “Esta agenda, naturalmente, vai basear-se nos quatro eixos definidos para a nossa actividade política este ano, estando a ser consagrada à memória do nosso presidente fundador, o Doutor Jonas Malheiro Savimbi”, disse. Informou que a agenda para a legislatura deve continuar a privilegiar o controlo e a fiscalização da actividade do Executivo e a consciencialização dos cidadãos para o exercício do poder autárquico.

error: Content is protected !!