General Zé Maria em julgamento

Começa, hoje, em Luanda, no Supremo Tribunal Militar, o julgamento do ex-chefe dos Serviços de Inteligência e Segurança Militar, general António José Maria, acusado de insubordinação, extravio de documentos, entre outros crimes. O réu é acusado de, antes da entrega das pastas ao seu sucessor, aquando da sua exoneração do cargo de chefe dos Serviços de Inteligência e Segurança Militar, ter retirado toda a documentação de carácter militar-secreto sobre a guerra do Cuito Cuanavale e não só. Consta nos autos que o réu teimava em manter em sua posse aquela documentação, quando o Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Angolanas, João Lourenço, lhe tivera dado até 48h para a sua entrega ao actual chefe dos Serviços de Inteligência e Segurança Militar, general António Miala. Depois da comunicação feita por Miala, em nome do Presidente da República, Zé Maria insistiu em não entregar os documentos, segundo a acusação.

No dia 19 de Fevereiro do corrente ano, mediante mandado de apreensão, procedeu-se à diligências que resultaram na apreensão de tais documentos nas residências do réu. A acusação destaca que António José Maria cometeu o crime de insubordinação, com recurso a resistência ao superior, extravio de documentos e conduta indecorosa, podendo ser condenado a uma pena que vai de dois a oito anos. Aguarda-se, hoje, pela presença do general Zé Maria no Supremo Tribunal Militar, cidadão que responde ao julgamento em prisão domiciliária, desde Junho do corrente ano, por questões de saúde. Espera- se também por três testemunhas e sete declarantes que constam do processo.

error: Content is protected !!