Ministra da Saúde anuncia a implementação de 20 projectos sanitários para o Moxico

Com a implementação destes projectos, a situação sanitária nas comunidades desta província vai melhorar e os doentes deixarão de se deslocar aos países vizinhos para tratamento médico.

Domingos Bento, enviado ao Luena

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, anunciou esta Terça-feira, 10, no Luena, que a província do Moxico tem inscritos, no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), um total de 20 projectos sanitários de intervenção primária que vão melhorar a assistência médica nas comunidades.

Trata-se de reabilitação e construção de unidades para assistência e cuidados primários de saúde em todos os municípios, cujo valor a ser aplicado não foi revelado. A governante, que se encontra no Luena no âmbito da visita de trabalho do Presidente da República, João Lourenço, reconheceu que o quadro sanitário do Moxico ainda enfrenta muitas dificuldades, sobretudo em termos de infraestruturas. Garantiu que com a implementação destes projectos a situação poderá melhorar e as populações terão mais acesso aos cuidados primários de saúde. “Ainda temos grandes desafios no que tocas a infraestruturas.

Temos neste momento enquadrados esses 20 projectos no PIIM, na sua maioria para intervenção primária”, disse. Este jornal apurou, ontem, junto de alguns munícipes que, devido à deficiente rede sanitária da província, as populações que vivem nas zonas fronteiriças recorrem às re públicas do Congo e da Zâmbia para tratamento médico.

Mais médicos

A ministra da Saúde anunciou o envio de mais médicos para a província, saídos do último concurso público, para reforçar o número dos que já existem, entre nacionais e estrangeiros. “Virão médicos provenientes do concurso público anterior. Mas ainda temos de continuar a trabalhar na sensibilização dos nossos profissionais a concorrerem para a província do Moxico. E acreditamos que os resultados serão melhores no próximo concurso público”, assegurou.

Centro de Hemodiálise Sílvia Lucuta fez saber que o recém reabilitado Centro de Hemodiálise, instalado no Hospital Geral de Luena(HGL), vai atender, para além do Moxico, as províncias da Lunda- Norte, Lunda-sul, Bié e Cuando Cubango. Com uma capacidade de 40 pa-cientes/ dia que padecem de insuficiência renal, com estes serviços os pacientes deixarão de se deslocar para outras províncias.

No contacto que manteve com os jornalistas, Sílvia Lutucuta disse haver um quadro assustador de doenças crónicas não transmissíveis no seio das populações. “Temos um fardo muito grande das doenças crónicas não transmissíveis, que são a hipertensão e a diabetes, muito frequentes no seio das nossas populações”, informou, apontando os acidentes vasculares cerebrais(AVC) como outras patologias que vão surgindo com frequência nesta região Leste.

Com o Centro de Hemodiálise, a situação dos pacientes passa a ser resolvida paulatinamente, dando resposta às prementes necessidades destes, segundo ainda a ministra. “Temos de ter condições de tratamentos de substituição renal”, afirmou, acrescentado que este centro vai resolver grande parte destes problemas.

 

error: Content is protected !!