Escritor Lopito Feijóo fala das autarquias na “Expodemo”

Trata-se de uma feira de Negócios e de Cultura, que se assume como um importante cartaz turístico da Moimenta da Beira. Além da participação em debates, o poeta angolano vai ainda realizar uma sessão de autógrafos do seu mais recente poemário “Experimentais Poépicos”

Por:Antónia Gonçalo

O escritor angolano Lopito Feijóo participa em mais uma edição da Feira de Negócios e de Cultura denominada “Expodemo”, que arranca hoje, 13, na Região da Beira, em Portugal, no âmbito das suas itinerâncias artístico- literárias. O poeta foi convidado pela Câmara Municipal da Moimenta daquela região, no último dia do evento, 15, e participará no debate com o tema “Interioridade, descentralização, regionalização e importância da literatura”.

Em conversa com OPAÍS, Lopito Feijóo avançou que neste encontro vai falar das autarquias no país, por observar as vantagens que o processo poderá dar aos agentes e promotores culturais, bem como aos próprios artistas locais. “Vou falar de questões ligadas à nossa realidade, pois, como sabe, vamos partir para a instalação das autarquias e penso que devemos pensar e repensar nas vantagens deste processo. Pois, vou falar da interioridade com base na descentralização de poderes, que nos poderá exigir um outro jeito de pensar e agir de forma mais efi caz e dinâmica”, enfatizou.

O poeta considerou que eventos do género proporcionam um acumular de experiências que, segundo ele, acaba por ser sempre útil para as práticas do dia-a-dia e permitir a intersecção com gente de várias origens e culturas, possibilitando beber um pouco do seu saber. Por esse motivo, julgou ser motivo de honra participar em eventos de cariz internacional, principalmente, “quando o convite nos chega somente em razão da força e da visibilidade do nosso trabalho artístico-literário. Isso significa que podemos também, mostrar a nova Angola além – fronteiras, por via da palavra poética que é o nosso forte”, reforçou. Participam no debate escritores africanos e brasileiros.

Entre os portugueses, o destaque recai para o escritor José Manuel Mendes, que foi um lutador anti-fascista, ensaísta, prosador e poeta, e actual Presidente da Associação Portuguesa de Escritores.

Apresentação e autógrafos

Além do debate, Lopito Feijó realiza no Sábado, 14, a apresentação e assinatura de autógrafos, seguida de debate em torno da sua mais recente obra literária intitulada “Experimentais Poépicos”.O poeta está expectante quanto à actividade, pelo facto de ter nesta cidade o ‘seu’ público. “É a primeira vez que me desloco a esta cidade, sei que lá, algum público me espera há já algum tempo. Sei que lá, o meu trabalho é conhecido. Já fui convidado várias vezes para anteriores eventos, mas só agora é que a presença se vai efectivar”, explicou.

O evento

A Expodemo, que este ano se estreia como um “eco-evento” é uma feira de negócios e de cultura, de sentidos e emoções. Localmente, é também chamada a “festa da maçã”, fruto da terra, das raízes e da luz, que se assume hoje como um importante cartaz turístico da Moimenta da Beira. Estima-se que mais de 40 mil pessoas possam visitar o recinto, durante os três dias e vai acolher, além de 160 expositores, inúmeras outras estruturas físicas e, dentre elas, o Pavilhão da Cultura com quatro palcos para mais de 25 espectáculos com a participação de mais de 150 artistas. No Pavilhão da Cultura, todos os visitantes terão o livre acesso ao Sector das Letras, que é uma estreia absoluta e fortalece a vertente mais cultural do evento. Este será um espaço de apresentação de livros, tertúlias à volta dos livros e da literatura, espaço também de maratonas de leituras com a presença de autores da lusofonia, como Alzira Santos, assim como a escritora santomense, Olinda Beja.

error: Content is protected !!