Quénia torna-se o terceiro país africano a introduzir a primeira vacina contra a malária do mundo

O Quénia adicionou, na Sexta-feira, a primeira vacina contra a malária do mundo ao cronograma de imunização de rotina para crianças menores de dois anos, tornando-se o terceiro país de África a lançar a vacina contra a doença que mata uma criança a cada dois minutos no mundo

A malária é a principal causa de morte de crianças menores de cinco anos no país da África Oriental, e a vacina é extremamente importante para os seus esforços para combater a doença porque outras medidas, como redes mosquiteiras, não se mostraram adequadas, disse o director geral do Ministério da Saúde do Quénia, Wekesa Masasabi, à Reuters. “Ainda temos uma incidência de 27% (infecção por malária) em crianças menores de cinco anos”, afirmou Masasabi antes do lançamento da vacina na Sexta-feira, no condado ocidental de Homa Bay.

O programa Homa Bay foi o primeiro passo do governo para criar conscientização sobre a nova vacina, disse ele. O Quénia junta-se ao Gana e Malawi no esforço de combate à malária Em África, Gana e Malawi lançaram os seus programas piloto da vacina no início deste ano. O Quénia planeia distribuir a vacina para oito dos seus 47 municípios nos próximos dois anos, disse Masasabi.

A malária pode ser erradicada dentro de uma geração, disseram especialistas mundiais em saúde num relatório importante do fim de semana passado encomendado pela revista médica The Lancet. O relatório da Lancet contradiz as conclusões do mês passado de uma revisão da malária pela Organização Mundial da Saúde, e os seus especialistas instaram a OMS a não se esquivar desse “objetivo de proporções épicas”. A malária infectou cerca de 219 milhões de pessoas em 2017, matando cerca de 435.000 delas, a grande maioria de bebés e crianças nas áreas mais pobres de África.

error: Content is protected !!