Arcebispo pede maior combate ao tráfico de seres humanos

O arcebispo da Igreja Católica na província do Huambo, dom Zeferino Zeca Martins, pediu ontem, Domingo, o envolvimento da sociedade no combate ao tráfico de seres humanos e da exploração do trabalho infantil, por serem dois fenómenos que prejudicam a convivência social e desenvolvimento sustentável do país.

O prelado ressaltou o facto durante a missa eucarística no Santuário de Cristo Misericórdia, no bairro do Canhe, arredores da cidade do Huambo, marcado com a confirmação de 100 crianças e adultos, bem como a reconciliação de 40 crentes desta comunidade, fundada em 1942, com seis centros religiosos.

Referiu que o exercício destas práticas anti-sociais provocam a desumanização das comunidades e o sofrimento da população, que quer ver dinamizados os programas de desenvolvimento em vários domínios, tendo em conta o bem-estar comum que se pretende alcançar.

Dados indicam que, nos últimos cinco meses, foram registados 70 casos de tráfico de seres humanos, envolvendo sobretudo mulheres e crianças, destes, 15 foram julgados e condenados, cujos criminosos são angolanos e estrangeiros.

Dom Zeferino Zeca Martins denunciou existir, actualmente, uma tendência de exploração de trabalhadores honestos mais dedicados e focos de prostituição de menores em várias comunidades, destruindo, deste modo, as regras de conivência e os valores morais necessários para uma boa conduta social.

A diocese do Huambo, que tem como padroeira Nossa Senhora Imaculada da Conceição, foi fundada a 4 de Setembro de 1940, tendo passado a arquidiocese a 3 de Fevereiro de 1977. Conta com 22 paróquias e 26 missões, com vários centros missionários.

error: Content is protected !!