Carta do leitor:Força Suprema ausente dos grandes shows nacionais, POR qUÊ?

Os meus cordiais votos de um óptimo Domingo, caro director do jornal OPAÍS, extensivamente a toda a equipa responsável pela elaboração deste periódico. Antes que me explane, cabe-me agradecer pelo espaço concedido para poder abordar sobre um tema relactivo ao movimento Hip-Hop. A Força Suprema é um dos grupos, apesar de fazer o estilo rap, mais populares da lusofonia. O show realizado na Guiné-Bissau, no ano de 2017, onde os mesmos reuniram cerca de 45 mil fãs, só vem a sustentar o que digo. Consta que eles integram o ranking de cantores que abarrotam de fãs a Praça da Independência. Referese ainda que a maior parte dos rappers luso-falantes da New School se inspira neles. Pretendo, com os factos supracitados, mostrar a dimensão que este grupo angolano tem, além da infl uência. Porém, não se percebe por que eles estão ausentes dos grandes shows, uma vez que a intenção dos realizadores de eventos é a de levar ao palco os cantores do momento e ou os que estouram as bilheteiras. Se a memória não me atraiçoa, desde 2016 que não vejo a FS num evento de dimensão do “Show da Virada”, “Sons do Atlântico” ou até mesmo “Unitel Festa da Música” e “Unitel Boas Festas”. Ouvi rumores de que eles estão a ser bloqueados. Por quem, não sei! O porquê não sei! Só sei que em tempos vi, no Facebook, uma campanha de fãs revoltados com a situação e que ale- DR garam não pisar mais nos tais shows onde o grupo não fosse convidado a actuar. A meu ver, privar um grupo que muito faz pela cultura Hip- Hop angolana, constitui uma desmotivação da arte, que pode se repercutir para o desvanecer da mesma e que novos talentos sigam esses encalços

error: Content is protected !!