Casa-museu Agostinho Neto pode desabar

O espaço que está praticamente abandonado apresenta roturas na cobertura de chapas de zinco, nas portas e janelas, bem como fissuras nas paredes

A casa-museu António Agostinho Neto na cidade do Luena, província do Moxico, corre o risco de desabar se não beneficiar, este ano, de obras de restauro, constatou a Angop. Localizada no bairro Mandembué, arredores da cidade do Luena, a casa erguida com adobes e coberta de chapas de zinco, comporta dois quartos, uma sala, cozinha e um vasto quintal cercado por mangueiras, que era o local onde se hospedava, na cidade do Luena, o primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto.

O edifício apresenta roturas na cobertura de chapas de zinco, nas portas e janelas, bem como fissuras nas paredes interiores e exteriores, e resíduos sólidos espalhados no seu quintalão que oferece uma sombra deslumbrante. As quedas pluviométricas que se avizinham constituem nesta época do ano a maior ameaça para o desmoronamento do antigo bastião do autor de “Renúncia impossível”, “Sagrada Esperança”, entre outras obras literárias.

O edifício pertencia a uma cidadã conhecida apenas por Teresa, antiga militante do MPLA e prima de Agostinho Neto. Apesar de ser designada casa- museu está praticamente abandonada, por falta de uma estrutura responsável pela sua gestão coerente. O governador da província e primeiro-secretário provincial do MPLA, Gonçalves Muandumba, numa visita realizada em Julho ao recinto, manifestou o desejo de reabilitar a casa-museu e transformála num espaço para a realização de debates políticos e com equipamentos de lazer para a ocupação dos tempos livres da juventude.

O administrador do município sede (Moxico), Valdemar Salomão, reforçou que a reabilitação da casa-museu visa valorizar o papel desempenhado por Agostinho Neto no processo da Luta de Libertação Nacional. Membros da antiga Comissão Directiva do MPLA na clandestinidade confirmam que Agostinho Neto havia se hospedado nessa casa na sua primeira e última deslocações realizadas em 1974, à cidade do Luena, vindo do Lunhamege. Lembram a comissão não tinha outro lugar que oferecesse segurança para hospedar o líder do MPLA que vinha das matas para cidade, depois de ter assinado os acordos de Lunhamege com as então forças colonialistas portuguesas.

António Agostinho Neto nasceu a 17 de Setembro de 1922, em Kaxicane, Icolo e Bengo, e morreu a 10 de Setembro de 1979, em Moscovo, Rússia, na época União das Repúblicas Socialistas Soviética (URSS).

error: Content is protected !!