Investidores chineses começam a produzir baterias em Angola

Oitenta milhões de dólares americanos é o valor inicial investido na primeira fase de uma unidade de produção de baterias que deverão ser distribuídas por todo país, com possibilidade de serem exportadas para o restante mercado africano, europeu e chinês

Por:André Mussamo

A unidade localizada no município de Cacuaco é um investimento de empresários chineses que preconizam investir outros 220 milhões de dólares americanos em duas fases posteriores durante os próximos dois anos. Nesta fase inicial, mais de 90 nacionais estão empregados nas variadas especialidades que asseguram o arranque da unidade que a 22 do corrente mês disponibiliza para os revendedores os primeiros lotes de baterias de 12 e 24 Volts de marca “Rei Leão”.

Segundo Haitao Zhang, da Guangde Internacional Group, Lda., a meta de produção no primeiro ano é de 200 mil baterias, podendo passar para mais de um milhão no segundo ano e no terceiro o número pode chegar a 7 milhões. Zhang garante que vai ser a demanda do mercado a ditar o incremento da produção e o aumento de postos de trabalho estimados entre 400 e 700 empregados. Zhang assegura que a marca “Rei Leão” é de confiança e vai conquistar o mercado nacional, não estando de fora a possibilidade de alcançar outros mercados africanos, europeus e o seu próprio país de origem, a China.

Segundo o mesmo, a sua marca vai ser produzida com baixo custo, dadas as condições favoráveis no mercado angolano e isso poderá fazer com que ofereça ao mercado externo produtos com preços mais atrativos. A bateria “Rei Leão”, que foi oferecida a todos os presentes no dia de lançamento, é um “produto confiável que será fabricado segundo altos padrões, pelo que o fabricante vai garantir a troca de produtos deficitários”, assegurou o entrevistado. Para garantir a qualidade, o fabricante montou na unidade um laboratório que servirá para testar o seu produto e outros similares.

O risco de poluição que está sempre inerente a este tipo linhas de produção é outro detalhe que está salvaguardado com a montagem de equipamentos de protecção do ambiente. “As águas residuais e outros materiais resultantes do processo de fabrico de baterias serão descontaminados e em momento algum deveremos lançar para o meio ambiente substâncias nocivas”, garantiu Haitao Zhang, da Guangde Internacional Group, Lda.

error: Content is protected !!